Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Sem triunfalismos

31 de Agosto, 2014
O triunfo sobre a Coreia do Sul estava dentro dos eventuais triunfos que o conjunto angolano seleccionou para esta primeira fase da competição, pelo que nada teve de anormal.

Um jogo inaugural nem sempre permite avaliar em toda plenitude a capacidade de qualquer conjunto, mas para já os angolanos souberam corresponder às expectativas, sem menosprezo algum pelo adversário.

Angola sabe das suas virtudes, mas também tem consciência das suas fraquezas. O seu segundo jogo no Mundial, esta noite frente à poderosa Lituânia, é realisticamente um daqueles confrontos em que o sonho de ganhar só se torna realidade se o adversário deixar fora da quadra de jogo o rótulo de grande candidato ao título e apresentar-se como um equipa vulgar, o que não é crível que aconteça.

A Lituânia é, ao lado da anfitriã Espanha e dos Estados Unidos, campeão em título, uma das formações com fortes pretensões à conquista do troféu. Um adversário que impõe respeito e com quem não se deve jogar de igual para igual, quando há um desnível visível entre dois contendores.
Angola venceu ontem a Coreia do Sul, mas que não se embandeire em arco com triunfalismos exagerados, em relação às possibilidades do conjunto nacional, quer na fase preliminar como ao longo da competição.

Que este triunfo deu alento aos nossos jogadores é indubitável, ainda que estivesse, como dissemos, dentro das previsões do conjunto. O importante é assentar bem os pés no chão e fazer de cada jogo um jogo, porque só deste modo os nossos campeões podem cumprir os seus objectivos.

O jogo de ontem deve servir de lição. Os jogos só acabam quando chegam ao fim e só nessa altura é que os jogadores podem relaxar, para evitar calafrios desnecessários, como os sofridos ontem diante dos sul-coreanos.

No grupo em que está inserida, a equipa angolana já delineou os adversários com os quais pode lutar e ter pretensões de vitória, pelo que diante das equipas mais fortes, como é o caso da Lituânia, o objectivo é fazer uma "gracinha", mas evitando desgastes físicos desnecessários dos atletas, porque há que resguardar o grupo para as equipas que são do nosso campeonato.

A vitória de ontem foi um bom triunfo, mas o campeonato apenas ontem começou, com toda a sua dose de imprevisibilidade. Sem triunfalismos, vamos dar um passo de cada vez até chegarmos ao objectivo.

Últimas Opinies

  • 18 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Temos de nos preparar bem para o jogo que será decisivo e estou convicto que iremos fazer este trabalho em conjunto, não temos muito tempo, agurada-nos um trabalho sério contra uma selecção que perdeu todas as partidas.

    Ler mais »

  • 18 de Março, 2019

    L se foi o sonho...

    O Petro de Luanda, até ontem o único sobrevivente angolano nas Afrotaças, não conseguiu evitar a derrota frente ao Gor Mahia FC do Quénia, em Nairobi, num jogo em que estava “condenado” a não desperdiçar, na totalidade, os pontos em discussão.

    Ler mais »

  • 18 de Março, 2019

    Os estreantes e o ritual de integrao

    Igor Vetokele regressa aos Palancas Negras, depois de muito tempo.

    Ler mais »

  • 16 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Eu já vi três vezes o jogo, muito sinceramente deu para ver alguma coisa na atitude e reacção de certos jogadores.

    Ler mais »

  • 16 de Março, 2019

    Operao Botswana

    A Selecção Nacional de futebol em honras concentra-se amanhã, a noite, tendo em vista a derradeira jornada do Grupo I da campanha para o Campeonato Africanos das Nações deste ano, a decorrer entre 21 de Junho e 19 de Julho no Egipto.

    Ler mais »

Ver todas »