Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Semana derradeira

10 de Julho, 2017
A Selecção Nacional de futebol cumpre na África do Sul, a semana derradeira de preparação, com vista o jogo do dia 16 no estádio de Port Louis, referente à primeira mão da penúltima eliminatória de acesso ao CHAN, cuja fase final acontece no Quénia, no próximo ano.

Há duas semanas em terras de Mandela, Angola esboça a estratégia para encarar a congénere das Ilhas Maurícias, que apesar de ser um adversário ao seu alcance, não deixa de requerer algumas cautelas para se evitarem dissabores. Os Palancas Negras tencionam o regresso à prova continental, mas não basta a boa intenção.

Para o CHAN, competição reservada apenas a jogadores que actuem nos campeonatos internos, os Palancas Negras almejam registar a terceira presença, depois de lá estarem em duas ocasiões, concretamente em 2011, no Sudão, e em 2016, no Ruanda.

Na estreia, a Selecção Nacional esteve sob comando de Lito Vidigal, que logrou colocá-la na final, porém, sucumbiu diante de uma poderosa Tunísia, por convincentes 3-0. Cinco anos mais tarde, em 2016, o país voltou à grande cimeira organizada pelo Ruanda, então às ordens de José Kilamba, que caiu logo na primeira fase da compita.

Conforme se disse, Angola procura a terceira presença no CHAN. A ambição do regresso é redobrada, pela eliminação prematura numa das frentes, e o perigo de falhar a outra. Assim, o campeonato para jogadores internos surge como uma eventual salvação da honra.

Angola estava a competir na Taça Cosafa e não chegou aos quartos -de -final. Os Palancas Negras têm as frentes das eliminatórias de qualificação ao CHAN e ao CAN, respectivamente. Para o CAN, começou com o pé esquerdo depois da derrota de 3-1, diante do Burkina Faso.
Nada está perdido, a esperança parece fazer uma boa campanha no CHAN.

Se vencer as Ilhas Maurícias, Angola atinge a última e fica a um jogo qualificar-se ao Quénia-2018, cuja fase final está projectada para o período de 11 de Janeiro a 2 de Fevereiro. Logo, fica mais à mão chegar ao CHAN do que ao CAN. Contudo, o sonho é chegar à duas fases finais.

Apesar de jogar na casa do adversário, Angola é ainda assim favorita à vitória no jogo de domingo no estádio de Port Louis. O favoritismo assenta no melhor ranking, quer na CAF, quer na FIFA, assim como num relativo ascendente em termos competitivos.

Ainda temos alguns dias pela frente, tempo que Beto Bianchi pode aproveitar para limar as arestas, e colocar a equipa nacional no seu melhor, para traduzir nas quatro linhas a teórica vantagem que leva sobre o adversário.

Últimas Opinies

  • 23 de Junho, 2018

    Noites brancas

    O escritor russo Fiodor Dostoievski deu corpo ao fenómeno noites brancas em São Petersburgo, quando em 1848 escreveu um romance com a mesma denominação.

    Ler mais »

  • 22 de Junho, 2018

    A (in) eficcia do VAR

    O VAR, ou, se preferirem, vídeo-árbitro, é a grande novidade do Campeonato do Mundo, que decorre na Rússia, cuja tecnologia foi testada no Mundial de Clubes.

    Ler mais »

  • 21 de Junho, 2018

    No violncia!...

    Ainda está-se por saber se o futebol está propenso à união ou à discórdia entre os membros da sua tribo. À partida, é um fenómeno de massas, com forte tendência de dar lugar a acesas discussões, intermináveis em certos casos, sempre com cada um dos intervenientes a tentar chamar à si a razão.

    Ler mais »

  • 20 de Junho, 2018

    Febre de bola

    O mundial entra hoje no sétimo dia de competição. Irresistível, como sempre, ou não fosse a  maior competição de selecções ao nível do planeta. Mediático, o campeonato do mundo chega a todas às sensibilidades e até pode tornar-se num forte agente da diplomacia mundial, que o digam o chefe da Arábia Saudita presente no jogo de abertura e o presidente Putin da Rússia, no confronto entre os dois países, em que o mandatária da FIFA deve ter servido de medianeiro nas conversas. Do que falaram, eles lá sabem, mas as imagens correram o mundo.

    Ler mais »

  • 19 de Junho, 2018

    Jornada de gritos...

    Quando logo mais as selecções da Rússia e do Egipto descerem ao relvado do Estádio São Petersburgo, estará a começar a segunda jornada da primeira fase do Campeonato do Mundo, que, não sendo cem por cento decisiva, pode, porém, começar afastar a cortina de fumo. Há coisas, que, no desfecho desta ronda, ficarão já clarificadas e outras que se vão manter incógnitas, até aos derradeiros 90 minutos.

    Ler mais »

Ver todas »