Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Sorteio ingrato

02 de Agosto, 2014
Sorteio é sorteio, diz a sabedoria popular. Temos de respeitá-lo. Não há outra alternativa. Tudo isto a propósito daquilo que as caprichosas bolas do sorteio ditaram para os quartos-de-final. Nada menos do que um Kabuscorp-1º de Agosto e um Recreativo do Libolo-Petro de Luanda.

Dois jogos interessantes e que polarizam as atenções desta antepenúltima fase da segunda competição mais importante do calendário futebolístico nacional. Completam os "quartos" os jogos Sporting de Cabinda-Progresso e Benfica de Luanda-Desportivo da Huíla.

Do grupo de equipas que procuram uma vaga nas meias-finais, duas estão na luta pelo título do Girabola, o Recreativo do Libolo e o Kabuscorp. A equipa de Calulo lidera confortavelmente a prova, com oito pontos de vantagem sobre os palanquinos.

Tanto uma como a outra nunca venceram a Taça de Angola. Na equipa de Calulo, na voz do seu treinador Miller Gomes, a conquista da Taça é um dos objectivos traçados para esta temporada.

"...de qualquer forma, a nossa meta é conquistar a Taça de Angola. É um título que o clube nunca conquistou e quer fazê-lo nesta época, para nos levar às competições africanas", disse o técnico, em entrevista ao JD.

Não é fácil ao Recreativo do Libolo chegar às meias-finais. Vai receber o Petro de Luanda, que nunca perdeu em Calulo. É o reencontro entre as duas equipas e uma forma de o Libolo desforrar-se da derrota sofrida na jornada dezoito do Girabola (1-2).

Um dos objectivos traçados pelos petrolíferos é disputar, na próxima temporada, uma prova continental. Com o Girabola e o segundo lugar já fora de hipóteses, embora faltem ainda dez jornadas para o final do campeonato, a conquista da Taça de Angola surge como a salvação da temporada.

Outro jogo de cartaz vai opor o 1º de Agosto ao Kabuscorp, no 11 de Novembro. Esta temporada a vantagem é do campeão em título. Nos dois jogos para o Girabola venceu um (3-2) e empatou outro (1-1). Contudo, o jogo da Taça tem características especiais. Com trajectos modestos no Campeonato Nacional, as duas equipas vêem na Taça de Angola a oportunidade para salvarem a temporada. Um desejo que apenas uma equipa vai partilhar, porque quem perder fica definitivamente arredado da competição.

Não menos importantes são as partidas Sporting de Cabinda-Progresso e Benfica de Luanda-Desportivo da Huíla. Estamos convictos de que o factor-casa é determinante para se encontrarem as duas equipas que se vão manter em prova. Contudo, face à singularidade da prova, tanto o Progresso como o Desportivo têm uma palavra a dizer.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »