Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Sucessor de Bianchi

18 de Novembro, 2017
Estamos a menos de dois meses do CHAN-2018, campeonato destinado a jogadores que actuam nas competições internas, e é ainda uma incógnita quem vai assumir o comando técnico dos Palancas Negras, depois do anúncio do fim do contrato entre a Federação Angolana de Futebol (FAF) e o treinador hispano -brasileiro Beto Bianchi.

Com o tempo em contagem regressiva, espera-se da parte da FAF pela definição do seleccionador nacional, interino ou definitivo, o quanto antes, para a quem couber a responsabilidade tenha um mínimo de tempo para passar a mensagem ou a filosofia ao grupo que constitui nesta altura, a ossatura do conjunto nacional.

Na terceira presença de Angola no CHAN, aguarda-se um desempenho regular, que dignifique o futebol nacional e potencie psicologicamente os nossos jogadores, para o resgate paulatino da mística que o país granjeou até meados da década de 90, em que era visto como uma potência a emergir no contexto do futebol continental.

Não se sabe, por enquanto, que nomes nesta altura estão na \"pole position\" para render Beto Bianchi, que teve a missão de qualificar o país para a fase final da edição da prova a ter lugar em Marrocos, de 12 de Janeiro a 4 de Fevereiro de 2018, cujo sorteio realizou-se ontem em Rabat.

Por força dos compromissos, na próxima época, do Petro de Luanda, o ex-seleccionador nacional ficou sem condições de continuar à frente dos Palancas Negras que vão competir numa altura em que os tricolores têm em agenda a prepararação ou mesmo a efectuar os primeiros jogos a nível das competições sob égide da CAF, mais precisamente nas eliminatórias de acesso à fase de grupos da Taça da Confederação.

Mais ou menos preparada com o que aconteceu, ou seja, com o fim do \"casamento\" com Beto Bianchi, a FAF não parece demonstrar grande preocupação, pelo que é expectável que tenha já alternativa, embora, de acordo com Artur Almeida e Silva, presidente do órgão reitor, as dificuldades financeiras continuem a condicionar a efectivação de um contrato a médio ou longo prazo.

Apesar de tudo , a nomeação ou indicação de um técnico para a Selecção Nacional nos próximos dias é um imperativo, que pesa sobre os ombros de Artur Almeida e Silva e seus pares.

Cientes de que o tempo não espera por ninguém, e mantém a marcha imparável, deve ser preocupação da FAF resolver a questão o mais breve possível, para evitar colocar sob pressão quem vier a suceder Beto Bianchi.

A nível do mercado interno, há bastas opções, a questão financeira parece ser o grande \"handicap\" da FAF. Em todo o caso, haja uma solução ainda que temporária, para tornar efectiva a presença de Angola no CHAN de Marrocos. Enquanto não chega o grande momento, ou seja a competição propriamente dita, é altura da direcção da Federação encontrar uma solução.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »