Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Sul-africanos na rota

24 de Fevereiro, 2018
Os embaixadores angolanos nas Afrotaças chegaram às eliminatórias seguintes de qualificação à fase de grupos, quer em relação à Liga dos Campeões, como da Taça da Confederação. O 1º de Agosto e o Petro de Luanda, respectivamente, confirmaram o passe a meio da semana, depois de na primeira mão terem deixado quase tudo resolvido, em função dos resultados alcançados.
Na eliminatória para a Liga dos Campeões, os militares despacharam o Platinum FC do Zimbabwe, no cômputo das duas mãos, por 5-1 (3-0 e 2-1), enquanto os petrolíferos fecharam a eliminatória para a Taça da Confederação, com um saldo de 5-0 (5-0 e 0-0), diante do Masters Security do Malawi.
Agora, para o prosseguimento da caminhada nas provas africanas em que estão inseridos, estão na rota dos dois embaixadores angolanos, os representantes da África do Sul. O 1º de Agosto defronta o Bidvest Wits e o Petro de Luanda tem o Supersport United como adversário, os jogos da primeira -mão estão marcados para o mês de Março.
Embora sejam oponentes que no campeonato do seu país estão numa posição classificativa não muito confortável, 11ª e 10ª, respectivamente, não se esperam facilidades para as equipas nacionais, que têm de se preparar à altura e manter a humildade, caso queiram representar o país nas duas grandes provas, sob a égide da Confederação Africana de Futebol.
Com as facilidades observadas nos jogos da primeira eliminatória, em que confortavelmente alcançaram o passe para a outra fase sem necessidade de puxar pelos galões, os dois representantes angolanos não devem ficar à sombra da bananeira e deixarem-se levar, só por lhes calhar adversários sem nomes relevantes no panorama futebolístico do continente. Ainda que a África do Sul não seja uma grande potência em África, é prudente que as equipas técnicas dos dois grandes emblemas do futebol doméstico comecem a fazer o trabalho de casa, para evitarem surpresas indesejáveis, até porque os jogos da primeira -mão não estão tão longe, pois, acontecem entre os dias 6 e 7 de Março, ou seja, a menos de 12 dias.
À partida, as equipas que cruzam o caminho dos angolanos, parece não constituírem ameaça ao ponto de interromper prematuramente o percurso quer dos militares como dos petrolíferos, que ambicionam chegar à fase de grupos das respectivas provas e chegarem o mais longe possível.
Tanto o Bidvest Wits como o Supersport United, pensamos que estejam ao alcance dos do 1º de Agosto e Petro de Luanda, e que estes repitam a dose da primeira eliminatória, ou seja, resolvam em casa os resultados, quiçá gordos, difíceis de serem contornados nos jogos de resposta nos domínios dos adversários. Embora, não existam dois jogos iguais, como é vulgar dizer-se, com uma boa preparação é possível
aos rubro -negros e aos tricolores conseguirem resultados promissores, tirando partido de iniciarem a eliminatória em casa. Oxalá, saibam aproveitar esta hipotética vantagem.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »