Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Temos futuro

15 de Setembro, 2017
Angola voltou a dar cartas ao nível do andebol júnior feminino em África ao subir ao lugar mais alto do pódio no campeonato africano, numa competições em terminou a prova sem sofrer qualquer derrota nos sete jogos que disputou, o que, desde já, afasta qualquer dúvida que insista, teimosamente, em permanecer, quanto ao seu poderio e a sua hegemonia na competição que teve como palco a cidade de Abidjan.

De facto, e quando cá por casa as atenções se centravam na incerteza que envolvia uma outra selecção, a sénior masculina de basquetebol que no Senegal, uma das sedes do Campeonato Africano, ensaiava estratégias para evitar o afastamento precoce da prova, as meninas do andebol conquistavam o título com um triunfo convincente sobre o Egipto, ao mesmo tempo que garantiam a presença no próximo Campeonato do Mundo.

Nada que para as angolanas seja estranho. A igual do \"sete\" nacional sénior, as meninas de juniores têm uma pedalada ganhadora, e isso tem permitido marcar presença nos grandes palcos mundiais como dignas representantes do continente.

Dessa forma, as jogadoras ganham a maturidade competitiva para que quando chegarem ao escalão mais alto encararem as competições com a maior naturalidade.

O domínio de Angola no andebol feminino ao longo do tempo teve como base uma política acertada dos órgãos que regem o desporto nacional, além do investimento que os clubes fazem em prol do desenvolvimento.

Petro de Luanda, como equipa mais ganhadora em África, e 1º de Agosto, apenas para citar estes, são dois bons exemplos da forma como o andebol deve ser tratado, tanto na vertente competitiva como no que diz respeito à organização.

Abidjan parece ser um talismã para o andebol angolano. Nesta altura, a selecção nacional de cadetes lá participa, também, no campeonato africano, numa prova em que deixou bons indicativos nos dois primeiros jogos.

As meninas mais novos certamente que pretendem seguir as peugadas das irmãs mais velhas, seniores e juniores, e mostrar que o domínio de Angola em África é em todos os escalões.

Depois da sua vitória na primeira jornada do campeonato de África das Nações de Cadetes sobre RDC, seguida da folga, terça-feira, Angola venceu hoje (quarta-feira) a Argélia, por 36-18 na terceira jornada da prova que decorre em Abidjan.

As angolanas revalidaram o título continental ao vencerem na última jornada o Egipto, por 29-19.

Esta classificação garantiu presença no próximo campeonato do mundo da categoria, a par da segunda e terceira classificadas da competição.

As angolanas conservaram o troféu sem averbar qualquer derrota nos sete jogos disputados.As angolanas conservaram o troféu sem averbar qualquer derrota nos sete jogos disputados.

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »