Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Ttulo mais perto

18 de Setembro, 2013
O Kabuscorp está cada vez mais próximo do título de campeão nacional. A equipa do Palanca só precisa de nove pontos para chegar ao primeiro título do Girabola e isso pode ser um facto já nas próximas três jornadas caso consiga manter a onda de triunfos. Por tudo o que tem feito, é um prémio justo e merecido para o conjunto palanquino.

O empate no fim-de-semana diante do mais directo perseguidor, o 1.º de Agosto, consolidou o objectivo dos actuais líderes, que desde o início foi dando mostras de ter preparado uma equipa para lutar para o título, depois de ter deixado escapar a oportunidade há dois anos, numa disputa acérrima com o actual campeão Recreativo do Libolo. Ante adversários de peso e com maior tradição no campeonato, como são os casos do Petro de Luanda, 1.º de Agosto, Recreativo do Libolo, Interclube, só para citar alguns, o Kabuscorp tem sabido justificar até agora a liderança na prova.

No cômputo geral, venceu mais jogos, marcou mais golos e sofreu menos golos ao longo das 23 jornadas já disputadas. Ainda não sentiu o travo amargo da derrota e arrisca-se a entrar no restito grupo de equipas que terminam um campeonato de forma invicta, ou seja, sem averbar qualquer derrota ao cabo das 30 jornadas que constituem o Girabola. Isso não é um dado qualquer, tem relevância na estatística e acentua a performance competitiva da equipa da Rua F do bairro Palanca.

Talvez seja esse o grande desafio dos palanquinos nesta ponta final do campeonato. Quase ninguém duvida que o título é um facto consumado. A dúvida talvez resida em saber se Eduoard Antranick e pupilos têm estofo suficiente para manter esta caminhada sem mácula até ao desfecho do campeonato. Faltam apenas sete jornadas mas é um desafio complexo que exige muita concentração da equipa, mas é concretizável.

Os concorrentes facilitaram a vida não apenas nos jogos entre si mas sobretudo por desperdiçarem muitos pontos com equipas que não são do seu campeonato. 1.º de Agosto, Petro de Luanda, Interclube e Libolo só se podem queixar de si mesmos por não terem sabido fazer um campeonato mais condizente com o estatuto que ostentam.

As quatro equipas já foram campeãs nacionais. Pelos números actuais, apenas o 1.º de Agosto está ainda na corrida, matematicamente falando, mas na prática, e seguindo de perto a trajectória e a performance competitiva de cada uma equipa, é de concluir que os militares não vão conseguir estorvar ou estragar a festa que há muito o Kabuscorp vem preparando com muita paciência. O sonho pode tornar-se realidade já daqui a três jornadas, caso o líder consiga sair vitorioso nos jogos que tem pela frente diante do Libolo, Sagrada Esperança e 1.º de Maio de Benguela. A ver vamos o que nos reservam estes jogos.

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »