Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Tombo palanquino

01 de Junho, 2019
Tal como era previsível, acaba por se confirmar a despromoção para a II Divisão e depois para o campeonato provincial de futebol de Luanda do Kabuscorp do Palanca, clube liderado por Bento dos Santos Kangamba. Apesar do pagamento da última tranche da dívida, para com o ex-internacional brasileiro Rivaldo Ferreira, o incumprimento no prazo de liquidação desta, levaram a que o emblema palanquinho conhecesse mais um tombo na alta-roda do futebol nacional.
O anúncio dessa medida foi feita, esta semana, pelo presidente do Conselho de Disciplina da Federação Angolana de Futebol (FAF), José Carlos, que explicou à imprensa, o facto de o clube do Palanca ter efectuado o pagamento fora do prazo estabelecido pelo órgão reitor do desporto-rei a nível mundial. A Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA), havia orientado ao Kabuscorp o pagamento ao antigo campeão do mundo pelo Brasil até 24 de Abril, algo que não chegou a ser honrado pelos palanquinos.
Na sequência desse incumprimento, o órgão reitor do futebol mundial, de acordo ainda com José Carlos, determinou a inevitável despromoção do Kabuscorp do Palanca, efectivada pelo Conselho de Disciplina da FAF.
De acordo com a orientação da FIFA, o clube liderado pelo empresário e oficial na reserva das Forças Armadas Angolanas (FAA) viola os prazos estabelecido no acordo e daí a mão pesada desse órgão, que culminou com a despromoção Girabola Zap, não obstante os palanquinos terminarem a prova na 4ª posição com 49 pontos. É imperioso lembrar que, dos 500 mil dólares negociados da dívida, o Kabuscorp liquidou em três prestações, pagando 300 mil na primeira tranche,70 mil na segunda e 89.700 mil na terceira, faltando daí 30 mil dólares para cumprimento total desse pendente do Rivaldo.
Foi na sequência de incumprimentos contratuais, com jogadores e treinadores, que a FIFA orientou a direcção da FAF a rebaixar o Kabuscorp para o escalão secundário e isto quando o clube já tinha também um “caso pendente” com Trésor Mputu Mabi, contratado ao TP Mazembe da República Democrática do Congo (RDC).
Este acaba por ser o segundo tombo do emblema palanquino na mais alta-roda do futebol nacional, isto depois da situação ocorrida em 1998, em que os jogadores da equipa faltaram ao último jogo do campeonato desse ano, frente a Académica do Lobito, em Luanda, por incumprimentos contratuais.
Agora, confirmada que está a despromoção do Kabuscorp do Palanca, fica, assim, definido o quadro de equipas que descem de divisão nesta época de 2018/2019. Nesse caso, o Cuando Cubango FC, que terminou a época na décima-quarta posição do Girabola Zap com 26 pontos, “ex-aquo” com o Atlético Sport Aviação (ASA) na décima-quinta, vê-se agora bafejado pela sorte, dado a vantagem nos confrontos entre si.
Assim sendo, além do Kabuscorp, confirma-se as descida de divisão do ASA e do Saurimo FC, equipa esta que se quedou na última posição com 21 pontos.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »