Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Tombo palanquino

01 de Junho, 2019
Tal como era previsível, acaba por se confirmar a despromoção para a II Divisão e depois para o campeonato provincial de futebol de Luanda do Kabuscorp do Palanca, clube liderado por Bento dos Santos Kangamba. Apesar do pagamento da última tranche da dívida, para com o ex-internacional brasileiro Rivaldo Ferreira, o incumprimento no prazo de liquidação desta, levaram a que o emblema palanquinho conhecesse mais um tombo na alta-roda do futebol nacional.
O anúncio dessa medida foi feita, esta semana, pelo presidente do Conselho de Disciplina da Federação Angolana de Futebol (FAF), José Carlos, que explicou à imprensa, o facto de o clube do Palanca ter efectuado o pagamento fora do prazo estabelecido pelo órgão reitor do desporto-rei a nível mundial. A Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA), havia orientado ao Kabuscorp o pagamento ao antigo campeão do mundo pelo Brasil até 24 de Abril, algo que não chegou a ser honrado pelos palanquinos.
Na sequência desse incumprimento, o órgão reitor do futebol mundial, de acordo ainda com José Carlos, determinou a inevitável despromoção do Kabuscorp do Palanca, efectivada pelo Conselho de Disciplina da FAF.
De acordo com a orientação da FIFA, o clube liderado pelo empresário e oficial na reserva das Forças Armadas Angolanas (FAA) viola os prazos estabelecido no acordo e daí a mão pesada desse órgão, que culminou com a despromoção Girabola Zap, não obstante os palanquinos terminarem a prova na 4ª posição com 49 pontos. É imperioso lembrar que, dos 500 mil dólares negociados da dívida, o Kabuscorp liquidou em três prestações, pagando 300 mil na primeira tranche,70 mil na segunda e 89.700 mil na terceira, faltando daí 30 mil dólares para cumprimento total desse pendente do Rivaldo.
Foi na sequência de incumprimentos contratuais, com jogadores e treinadores, que a FIFA orientou a direcção da FAF a rebaixar o Kabuscorp para o escalão secundário e isto quando o clube já tinha também um “caso pendente” com Trésor Mputu Mabi, contratado ao TP Mazembe da República Democrática do Congo (RDC).
Este acaba por ser o segundo tombo do emblema palanquino na mais alta-roda do futebol nacional, isto depois da situação ocorrida em 1998, em que os jogadores da equipa faltaram ao último jogo do campeonato desse ano, frente a Académica do Lobito, em Luanda, por incumprimentos contratuais.
Agora, confirmada que está a despromoção do Kabuscorp do Palanca, fica, assim, definido o quadro de equipas que descem de divisão nesta época de 2018/2019. Nesse caso, o Cuando Cubango FC, que terminou a época na décima-quarta posição do Girabola Zap com 26 pontos, “ex-aquo” com o Atlético Sport Aviação (ASA) na décima-quinta, vê-se agora bafejado pela sorte, dado a vantagem nos confrontos entre si.
Assim sendo, além do Kabuscorp, confirma-se as descida de divisão do ASA e do Saurimo FC, equipa esta que se quedou na última posição com 21 pontos.

Últimas Opinies

  • 20 de Janeiro, 2020

    Deixem a Marximina regressar

    Olhei para o tempo que já passou desde a suspensão da árbitra Marximina Bernardo, acabou penalizada pela Federação Angolana de Futebol (FAF), sobretudo porque, em minha opinião, este órgão hesita em não condescender exagerada decisão que então tomou, quando para “homens do apito” as punições quase que sabem a flores.

    Ler mais »

  • 20 de Janeiro, 2020

    Cartas dos Leitores

    O orçamento não varia muito dos anos anteriores. Podemos dizer que é ligeiramente superior a dois milhões de dólares por ano. Este é o valor que temos consagrado para o Sagrada Esperança.

    Ler mais »

  • 20 de Janeiro, 2020

    Regatas para Tquio

    Marcado por aceso despique, o Campeonato Africano de Vela nas classes 420 e 470, realizado de 13 a 18 do corrente mês na Contra-Costa da Ilha do Cabo, em Luanda, confirmou mais uma qualificação de Angola à maior montra desportiva do globo.

    Ler mais »

  • 18 de Janeiro, 2020

    Welwitschias voltam a dar o ar da sua graa

    Depois da “travessia do deserto” por que passou nos últimos tempos, obrigando a ficar inactiva, a Selecção Nacional de Futebol feminina pode testemunhar um novo ciclo no ano que dá ainda os seus primeiros passos.

    Ler mais »

  • 18 de Janeiro, 2020

    Futebol feminino busca resgate da mstica

    Já houve tempos que o futebol feminino era de facto uma festa cá entre nós, pois inflamava paixões e, de facto arrastava multidões.

    Ler mais »

Ver todas »