Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Torneio para testar

09 de Agosto, 2017
A Selecção Nacional de basquetebol sénior feminina regressou ao país, depois de efectuar em terras brasileiras, concretamente na cidade de São Paulo, um estágio pré-competitivo com vista à presença no Afrobasket que se disputa no Mali, de 18 a 27 do corrente.
A Selecção Nacional disputou um total de seis jogos de controlo, com destaque para dois, com a congénere da República do Brasil.

Sem levar em consideração os resultados verificados nos amistosos, o seleccionador Jaime Covilhã aproveitou sobretudo para tirar as devidas ilações, de modos a limar as arestas quando faltam pouco menos de 10 dias para o início da prova.

O trabalho aturado desenvolvido em Luanda, e o estágio realizado no Brasil, vão ser examinados durante o torneio internacional de Luanda que a Federação Angolana de Basquetebol realiza entre 11 e 13 do corrente, com a participação da República Democrática do Congo, Cabo Verde e um Misto de Luanda, com o objectivo de proporcionar mais uma oportunidade à equipa técnica para avaliar os níveis competitivos do “cinco nacional feminino, antes do Afrobasket do Mali.

Com os olhos postos em Bamako, as pupilas da dupla Jaime Covilhã/Apolinário Paquete vão dar uma amostra do que pode vir a ser a presença no Mali, onde o alcance é a conquista do terceiro título continental, depois dos feitos em 2011 e 2013, no Mali e Moçambique, respectivamente.

Com todo o trabalho praticamente feito, e com as estratégias montadas, resta à Selecção mais alguns jogos de controlo para se aferir a capacidade competitiva. O torneio de Luanda é bem-vindo, nesta altura. Os jogos realizados no Brasil com a selecção e algumas equipas locais, permitiram à equipa técnica ter a ideia de como o grupo está, e o que esperar de cada uma das suas integrantes.

O tempo ainda permite algum trabalho e eventuais correcções, o que certamente, vai ser aproveitado por Jaime Covilhã e seus adjuntos. No Mali, Angola está inserida no grupo A, ao lado das similares dos Camarões, Côt D’ivore, Tunísia e do país anfitrião. Apesar de estar numa série difícil, as bi-campeãs africanas estão convictas de ser possível fazer um bom campeonato e entrar uma vez mais na disputa pelo título. O seleccionador nacional também mostra esta convicção, a julgar pelas declarações que tem produzido.

A integração da experiente Italle Lucas, a norte-americana naturalizada angolana, na véspera da partida para o estágio, deu consistência à equipa e opções a Jaime Covilhã. O torneio de Luanda é um bom barómetro para ver em que pé está o \"cinco\" nacional, numa altura em que o tempo está em contagem regressiva.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »