Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Trabalho em curso

27 de Dezembro, 2016
A corrida pedestre de fim de ano, a tradicional "São Silvestre", está à porta. À quatro dias do tiro de largada, o trabalho da comissão organizadora aumenta de intensidade para que no dia 31 a prova decorra dentro da normalidade, e sem quaisquer constrangimentos. No domingo foi dia de descanso, mas a coordenação da corrida não se fez rogada, arregaçou as mangas para trabalhar.

Uma equipa multidisciplinar procedeu à vistoria do percurso que tem dez quilómetros de extensão, com a habitual partida no largo da Mutamba e chegada ao Estádio dos Coqueiros.

Não obstante a constatação de algumas anomalias ao longo do percurso, a secretária de Estado para os Desportos, Ana Paula Sacramento, garantiu no final da visita que tudo vai ser feito para que os participantes à 61ª edição da São Silvestre de Luanda possam correr sem perigos que atinjam a integridade física.

A vistoria baseou-se, essencialmente, na verificação de obstáculos na via, buracos e elevações no pavimento, iluminação e marcação do piso. As equipas de trabalho estão no terreno, e a governante tem a convicção de que até ao dia 31 tudo estará a postos para a grande corrida de fim de ano. As inscrições estão a ser feitas e muitos populares acorrem aos postos, distribuídos por Luanda, para garantirem as suas inscrições. Em princípio, este acto encerra na quarta-feira, mas é possível que a comissão organizadora estenda por mais um dia ou algumas horas, de modo a permitir um número significativo de corredores.

É já do domínio público a informação de que este ano a corrida conta apenas com atletas nacionais, e os prémios estão reservados entre os três e cinco primeiros classificados de cada categoria. O corte em relação ao número de premiados e no das categorias, deve-se à situação de crise que o país vive, decorrente da baixa do preço do barril do petróleo, que afectou o orçamento disponibilizado pelo Ministério da Juventude e Desportos à Federação da modalidade, assim como o angariado em termos de patrocínios.

Mesmo com restrições orçamentais, diminuição em relação ao número de prémios, ausência de atletas estrangeiros, entre outras situações, o importante é que a corrida saia à rua no dia 31 de Dezembro, mantém-se deste modo uma tradição que dura há mais de 60 anos.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »