Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Trabalho em curso

27 de Dezembro, 2016
A corrida pedestre de fim de ano, a tradicional "São Silvestre", está à porta. À quatro dias do tiro de largada, o trabalho da comissão organizadora aumenta de intensidade para que no dia 31 a prova decorra dentro da normalidade, e sem quaisquer constrangimentos. No domingo foi dia de descanso, mas a coordenação da corrida não se fez rogada, arregaçou as mangas para trabalhar.

Uma equipa multidisciplinar procedeu à vistoria do percurso que tem dez quilómetros de extensão, com a habitual partida no largo da Mutamba e chegada ao Estádio dos Coqueiros.

Não obstante a constatação de algumas anomalias ao longo do percurso, a secretária de Estado para os Desportos, Ana Paula Sacramento, garantiu no final da visita que tudo vai ser feito para que os participantes à 61ª edição da São Silvestre de Luanda possam correr sem perigos que atinjam a integridade física.

A vistoria baseou-se, essencialmente, na verificação de obstáculos na via, buracos e elevações no pavimento, iluminação e marcação do piso. As equipas de trabalho estão no terreno, e a governante tem a convicção de que até ao dia 31 tudo estará a postos para a grande corrida de fim de ano. As inscrições estão a ser feitas e muitos populares acorrem aos postos, distribuídos por Luanda, para garantirem as suas inscrições. Em princípio, este acto encerra na quarta-feira, mas é possível que a comissão organizadora estenda por mais um dia ou algumas horas, de modo a permitir um número significativo de corredores.

É já do domínio público a informação de que este ano a corrida conta apenas com atletas nacionais, e os prémios estão reservados entre os três e cinco primeiros classificados de cada categoria. O corte em relação ao número de premiados e no das categorias, deve-se à situação de crise que o país vive, decorrente da baixa do preço do barril do petróleo, que afectou o orçamento disponibilizado pelo Ministério da Juventude e Desportos à Federação da modalidade, assim como o angariado em termos de patrocínios.

Mesmo com restrições orçamentais, diminuição em relação ao número de prémios, ausência de atletas estrangeiros, entre outras situações, o importante é que a corrida saia à rua no dia 31 de Dezembro, mantém-se deste modo uma tradição que dura há mais de 60 anos.

Últimas Opinies

  • 24 de Agosto, 2019

    O amiguismo na resciso

    O assunto de momento no nosso futebol, convenhamos, é sem dúvidas o desenlace entre a Federação Angolana de Futebol (FAF) e o técnico Srdjan Vasiljevic, em face de algumas situações que vinham acontecendo e que originou que se estalasse o verniz.

    Ler mais »

  • 24 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Os jogadores aguardaram isso dos dirigentes, para que a motivação crescesse

    Ler mais »

  • 24 de Agosto, 2019

    O sonho dos grupos

    Após as vitórias extramuros nas deslocações à Tanzânia e ao Lesotho, o 1º de Agosto e Petro têm, neste fim-de-semana, a oportunidade soberana de confirmarem a qualificação para última eliminatória de acesso a fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Viemos a público para responder ou esclarecer o que aconteceu.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

Ver todas »