Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Trinta e nove anos de liberdade

11 de Novembro, 2014
O País comemora hoje 39 anos, desde que se tornou independente. Foi a 11 de Novembro de 1975, a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim da colonização, que deixou inúmeras cicatrizes. Por isso, o dia que hoje comemorámos constitui uma das maiores conquistas do povo angolano. O 11 de Novembro marca uma viragem decisiva no processo de desenvolvimento do País.

Em 39 anos de Independência, o desporto angolano conquistou vários títulos africanos, repartidos pelo basquetebol masculino e andebol feminino, em seniores. Em juniores (sub 20) tem o registo de um título africano de futebol. Pela COSAFA, competição da África Austral, tem três Taças, inúmeras medalhas no atletismo paralímpico, quatro títulos africanos de xadrez, em juniores, entre conquistas de outras modalidades não menos importantes.

Graças ao 11 de Novembro, a Nação conheceu melhorias significativas em todos os domínios da vida social, onde o desporto é parte integrante.Permitiu a realização de vários eventos desportivos, onde o Campeonato Africano das Nações em 2010, aparece em destaque, sem desprimor para os demais eventos desportivos que o País albergou ao longo destes 39 anos. A conquista da independência permitiu avultados benefícios. De entre outros, aliás, o supremo que é o facto de termos um país, na verdadeira acepção da palavra, virado para o desenvolvimento.

Dentre os muitos ganhos, destacamos o aumento de estradas para a livre circulação de pessoas e bens, e ao longo dos 39 anos o desporto angolano conheceu uma série de benefícios, como a construção de várias infra-estruturas, para a realização de vários eventos desportivos como o CAN/2010 e os Campeonatos Africanos de Basquetebol e Andebol, que permitiram elevar a auto-estima da população das províncias que tiveram o privilégio de receber os referidos eventos.

As infra-estruturas desportivas existentes no país para as mais diversas modalidades, reflectem o alcance da Independência.No aspecto desportivo, os resultados tardam a aparecer, mas para que haja resultados é necessário que haja instalações desportivas. Angola é um dos países africanos com as melhores instalações desportivas e tudo se deve ao gradual desenvolvimento que o País regista e que o desporto nacional ganha expressão.Estamos em crer que nos próximos tempos, em função das infra-estruturas desportivas disponíveis e com às que certamente vão ser erguidas pelo governo angolano nas diferentes regiões do país e para as mais distintas modalidades, os resultados tendem a ser ainda mais positivos. Feitos que servem de orgulho a todos os desportistas angolanos.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »