Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinião

Tudo a postos

21 de Abril, 2017
Depois de duas voltas bem disputadas, nas fases anteriores, em que o Recreativo do Libolo foi o destaque, espera-se que a partir dos quartos de final intensifica-se a competitividade para o engrandecimento do próprio campeonato a fim de se encontrar no final um campeão de mérito, como tem sido norma até aqui.

Tal como já se disse aqui, para a disputa do título do BIC Basket vamos ter os mesmos candidatos, o trio ou quarteto de sempre, com o Recreativo do Libolo, 1º de Agosto, Petro de Luanda e quiçá Interclube, este último que tem de melhorar a performance para não ser surpreendido.

Apesar de quatros equipas poderem garantir a presença nas meias-finais, apenas duas vão estar habilitadas a disputar a batalha decisiva, a final. Por aquilo que nos foi dado a ver até agora, Recreativo do Libolo e 1º de Agosto estão na \"pole position\", mas não é descartar eventuais surpresas, atendendo que se entrou para a fase do \"mata-mata\", ou A XXIX edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, vulgo BIC Basket, entra a partir de agora para uma das suas fases decisivas: os quartos de final. Ou seja, a partir dos jogos de hoje começam a se alinhar os potenciais candidatos que vão procurar chegar às meias-finais e, consequentemente, à final.seja, da eliminatória directa.

à partir de agora, as equipas que levarem a melhor sobre os adversários seguem em frente e as que perderem ficam pelo caminho. Daí que é de vislumbrar um \"tudo ou nada\" por parte de todas as equipas, podendo por isso mesmo, caso não haja cautelas e concentração, da parte dos grandes ou favoritos, acontecerem agradáveis surpresas. Militares, libolense e petrolíferos, sem qualquer rigor pela ordem como são enumerados, são os potenciais candidatos, tal como tem sucedido nos últimos três anos. Qualquer uma delas tem no título a concretização da meta para no final poder dizer que o objectivo foi alcançado. Por agora, não há perigo em tropeçarem, pois as equipas adversárias não do seu campeonato e com maior ou menor dificuldade vão garantir as meias-finais.

Como campeão, o 1º de Agosto carrega a maior responsabilidade, pois tem a missão de defender o prestígio alcançado no ano passado. Depois de dois anos em seca (2014 e 2015), os militares conseguiram regressar aos títulos, com uma vitória suada numa grande final com os libolenses. Mas em função do desempenho nas fases anteriores a tarefa este ano não se adivinha fácil para Ricard Casas e seus pupilos.

O mesmo propósito tem a equipa do Cuanza Sul, que também vive uma seca de duas época (2015 e 2016). Ao contrário dos militares, os libolenses revelaram maior eficácia nas duas primeiras voltas e entram como os grandes favoritos. Mas terá de ser na quadra, mais uma vez, onde terão de mostrar que o desempenho tido até agora não foi obra de mero acaso. Aliás, tiveram já um sério aviso do 1º de Agosto, quando na última jornada quebrou-lhes a invencibilidade na prova, pelo que todo o cuidado será pouco para Hugo Lopes e sua rapaziada.

Por fim, nas hostes do Eixo -Viário, o camaronês Lazare Adingono vai tentar repetir a proeza de há dois anos, quando em 2015, contra todas as previsões chegou ao título, como prémio de um árduo trabalho desenvolvido na equipa do Petro de Luanda. A empreitada será arrojada, mas por aquilo que já mostrou nada voltará a ser surpresa. A ver vamos o que nos reservam estes quartos de final que têm início hoje.

Últimas Opiniões

  • 25 de Maio, 2017

    FAF é a culpada do insucesso

    O Campeonato Africano das Nações de selecções.

    Ler mais »

  • 25 de Maio, 2017

    Citações

    Nós chamamos atletas que jogam com muita intensidade, são agressivos e bons no jogo aéreo, fizemos as nossas escolhas a pensar na maneira de jogar da equipa rival.

    Ler mais »

  • 25 de Maio, 2017

    Confiança no arranque

    O jogo com o Burkina Faso deve ser o primeiro de uma campanha, que vai compreender outros confrontos tanto em casa como fora, com as outras equipas com as quais reparte o grupo, Botswana e Mauritânia, mas que pode servir para aferir as potencialidades dos Palancas Negras, e esse seu desejode chegar longe nesta fase de apuramento para os Camarões 2019

    Ler mais »

  • 24 de Maio, 2017

    A ficção do desporto nacional prossegue

    “Que importância terá para Angola um milhão de desportistas nesta pobreza do estado das coisas do desporto? Teremos um milhão de crianças a correr a trás de uma bola, talvez, mas não desportistas. Nem atletas. A menos que o enquadramento desses números seja feito por pelo menos algum número de gente capaz, que forma mais gente capaz.”

    Ler mais »

  • 24 de Maio, 2017

    Citações

    O Jordin nesta altura está fora do elenco, mas como sabem, o processo não termina aqui. Há continuidade, tem outras qualificações no futuro, e ele vai ter de estar presente e  empenhar-se para futuramente integrar-se no grupo.

    Ler mais »

Ver todas »