Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Uge em apuros

18 de Setembro, 2017
Girabola caminha, a partir da próxima jornada, cumpre o último terço para o término. Algumas equipas, começam a fazer contas à vida, em função da posição classificativa que ocupam. Tal é o caso do Santa Rita de Cássia, representante da província do Uíge, que pode deixar a província, de novo, sem o futebol de primeira água.

Embora nada esteja perdido para os uígenses, pois ainda restam 15 pontos por disputar, a verdade, porém, é que mesmo nesta ponta final as coisas não estão a correr muito bem, e a derrota no sábado, em casa, diante do Desportivo da Huíla é o reflexo disso. Depois de ascender, na época passada, à primeira divisão, os \"católicos\" parecem na iminência de regressar à segunda divisão. As mudanças operadas na equipa técnica, a crise financeira e a deserção de alguns jogadores, pode ter contribuído para diminuir a capacidade competitiva da equipa, que até começou o campeonato com bons indicativos.

Contudo, a dinâmica da competição exigia outro tipo de suporte e as dificuldades enfrentadas podem ter penalizado de alguma maneira o Santa Rita de Cássia, em determinadas etapas da prova. As cinco jornadas derradeiras devem ser encaradas como autênticas finais, com a palavra de ordem a ser apenas vitória, vitória e vitória.Os jogos com o FC Bravos do Maquis (26ª jornada), Sagrada Esperança (27ª), 1º de Maio (28ª), Petro de Luanda (29ª) e Progresso do Sambizanga mostram muito bem o calendário apertado do representante do Uíge, que tem de fazer o esforço de pontuar em todos empreitada nada fácil.

Com a competição a fazer o \"sprint\" final, o desempenho do Santa Rita de Cássia começa a preocupar, sobretudo, nas duas últimas jornadas a equipa não conseguiu qualquer ponto. Adeptos, dirigentes e patrocinador devem equacionar medidas urgentes, para inverter o quadro nestas últimas rondas, sob pena de não ser possível evitar o pior, ou seja, a despromoção.

O facto de estar nesta altura ocupar a última posição na tabela classificativa, espelha bem quão mal vai esta equipa, que apesar de ser primodivisionária, mostrou muito bom futebol em algumas jornadas, travou alguns colossos, como aconteceu ainda na 23ª jornada quando recebeu e empatou com o 1º de Agosto, atrapalhando as contas deste em relação ao título.

A equipa precisa de voltar a ganhar confiança, neste último terço do campeonato, porque a sentença ainda não foi ditada. A crise de maus resultados não é um problema isolado dos uígenses, quase todas as equipas que estão na \"linha de água\" (leia-se em perigo de despromoção) oscilam muito nos seus resultados, o que periga a concretização dos objectivos definidos para esta temporada.Todavia, é de praxe dizer-se, enquanto há vida, há esperança, e o Santa Rita de Cássia tem de manter a fé, até não puder. Até lá, resta-nos desejar ao representante da terras cafeícolas, boa sorte.

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »