Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Um Girabola emotivo

19 de Maio, 2015
Está super-interessante o despique, que se assiste, no topo da tabela classificativa do Girabola. À saída da terceira ronda a liderança é repartida por três equipas. Libolo, Kabuscorp e Benfica de Luanda ditam as regras do jogo. Todas somam 24 pontos, condição que leva cada, a elevar os índices de motivação de modo a encarar as próximas jornadas com maior ambição competitiva.

É salutar quando isso acontece. A própria prova ganha maior "suspense", maior interesse, dada a correlação de forças que determina este factor. Na verdade, notamos no presente campeonato, muito equilíbrio de forças a nível das equipas, pelo menos das que sempre se posicionaram em posições- chave nas edições anteriores.

O revezamento na liderança da prova, deixa prever uma segunda volta renhida. Na liderança já esteve o Petro de Luanda e durante muitas jornadas o Interclube, depois o Kabuscorp do Palanca. Agora vemos um Benfica alojado entre os líderes. Aliás, os "encarnados" de Luanda desde a época passada, que dão sinal de aviso, daí que, a sua actual condição classificativa não deve surpreender.

Escapa à percepção, o facto de as equipas estarem a cumprir à risca a máxima segundo a qual, a primeira volta é das equipas e a segunda dos dirigentes. Há pois toda a necessidade de ser construir um coeficiente, no primeiro turno, que confira alguma tranquilidade, porque em regra, as coisas complicam-se na outra fase, em que a luta torna-se frenética, numa espécie de salve-se quem puder.

Na verdade, se as equipas mantiverem essa regularidade competitiva, podemos ter uma segunda volta de despique. Pelo menos, salta à vista, que este ano cresceu o número de equipas, que se esmeram na luta pelo título. É certo, que umas são candidatas declaradas e outras fazem-no, de forma discreta e inteligente, reservam as palavras para talvez pronunciarem-se quando acharem à beira da glória.

Descontando o Petro de Luanda, para quem o título não está nas prioridades, por opção compreensível da direcção, as estimativas colocam-nos diante de cinco formações, porque reúnem condições que prometem luta renhida pelos lugares cimeiros. Falámos das três equipas que repartem a liderança de momento e também do 1º de Agosto e do Interclube.

Do quinteto, pode vir a sair, na nossa óptica, o provável vencedor do campeonato. Como o futebol não é uma ciência exacta, pode dar-se o caso de surgir uma equipa fora dd quadro, mas trata-se de uma hipótese remota. As equipas, que se colocam abaixo do quinto lugar, podem até fazer um excelente campeonato, mas pouco ou nada prometem quanto à questão do título.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »