Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinião

Uma nova empreitada

18 de Maio, 2017
A selecção nacional de futebol em Sub-17 compete desde segunda-feira, na fase final do CAN da categoria, que se disputa no Gabão. Depois do empate na estreia frente ao Níger, em que contornou uma desvantagem de 2-0, os pupilos de Languinha Simão procuram hoje a primeira vitória, para alimentar o sonho das meias-finais.

A Tanzânia, adversário do dia, parece mais ao alcance dos Palanquinhas, se comparada com o último adversário, o Níger, que por pouco nos ia causar uma estreia amarga, quando ao intervalo vencia por 2-0. Contudo, a força anímica e competitiva da selecção nacional mostrou que é possível almejar um desfecho melhor, na partida diante dos tanzanianos.

Depois do empate há três dias, a hipótese de chegar à fase seguinte, depende muito de um resultado esperançoso hoje. E, um resultado esperançoso é uma vitória, até porque na última jornada desta fase preliminar, o adversário é mais complicado, pois, trata-se do campeão em título, o Mali.

A forma como a selecção preparou esta participação, deixou indignados os prosélitos da modalidade, entretanto, os nossos bravos rapazes estão a responder ao fraco apoio da Federação, com atitude e determinação em campo, como que a mostrar que o nome e a honra do país estão acima de qualquer coisa.

Para além da preparação caseira, falta de estágio, e condições apropriadas para uma selecção que estava a trabalhar para uma competição oficial, a FAF ainda cometeu a \"gafe\" de não colocar alguém da direcção a acompanhar os jovens atletas e a equipa técnica. Contentou-se a mandar um membro, da área de coordenação do futebol jovem.A crise financeira é uma realidade, mas não dá para justificar tudo.

Esperava-se que Artur Almeida e seus pares fizessem um pouco mais de esforço, a julgar pelas promessas aquando da campanha eleitoral, onde a selecção de Sub-17 em função da qualificação ao CAN aparecia como uma das bandeiras da propaganda, e recebeu inúmeras promessas de constituir a prioridade das prioridades, do actual elenco.

Oxalá os rapazes e a equipa técnica continuem com a mesma motivação e determinação, para que marquem um passo importante, que deixe entreaberta a porta de acesso para a fase seguinte da competição, que são as meias-finais. Ficou patente no jogo anterior, que a equipa tem futebol maduro e sincronizado, e que o grupo conhece-se bem.

Talvez o estágio fosse dar a endurance necessária para competições do género, já que muitos mais contactos internacionais fazem a diferença, de modo a evitar abanões por parte de muitos jovens, que pela primeira vez estão a defrontar adversários de outros países.

Mas com a competição já em curso, pouco adianta lamentar. É preciso incentivar os bravos rapazes e seus técnicos, a manterem-se unidos em torno da dignificação das cores da bandeira nacional, fazer tudo o que estiver ao seu alcance para concretizar o objectivo que foi projectado. Força palanquinhas.

Últimas Opiniões

  • 11 de Dezembro, 2017

    Citações

    Foram muitas as razões que nos levaram a definir essa escolha, tal como o profissionalismo, a orientação técnica, conhecimento e experiência do futebol, compromisso com a formação, vontade de vencer, ser estudioso permanente do futebol e passar os seus conhecimentos aos treinadores nacionais.

    Ler mais »

  • 11 de Dezembro, 2017

    Crença e acalmia

    A família do futebol nacional deve por esta altura estar mais calma, depois da divulgação do novo seleccionador nacional pela Federação Angolana da modalidade, volvidos que foram os dias de incerteza, agora, com a missão de dirigir os Palancas Negras no seu primeiro compromisso do ano, o da fase final do CHAN que o Reino de Marrocos acolhe.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2017

    São Silvestre é marca

    “Infelizmente, nos últimos tempos, mergulhados numa crise financeira sem precedentes, o desporto angolano vem pagando uma factura bastante pesada e, obviamente o atletismo não fica de parte.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2017

    Cartas dos Leitores

    O futuro a Deus pertence, e se calhar vou terminar a minha carreira aqui no Maquis, e ser campeão nesta equipa.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2017

    Vamos trabalhar

    O técnico deixou a entender que apesar de os objectivos para CHAN serem claros porém a sua ambição como técnico não se esgota nesta competição

    Ler mais »

Ver todas »