Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Vamos a isso rapazes

13 de Setembro, 2014
Com a última presença em 1999 na Guiné Conacry, os angolanos voltam a espreitar a oportunidade de participarem na maior festa do futebol jovem no continente.

Depois de um longo período de ausência, uma retumbante vitória podia traduzir a pretensão em realidade. Os pupilos de André Nzuzi têm de contornar este último obstáculo da caminhada, que começa hoje com a disputa dos primeiros 90 minutos.

No cômputo das duas mãos, Angola tem de ultrapassar a forte selecção da Costa do Marfim, adversário difícil mas que não pode ser visto como inultrapassável. É no campo onde se deve provar a força competitiva de qualquer equipa, seja campeã ou não.

O facto de começar a eliminatória em casa pode ser vista como uma boa oportunidade para a Selecção Nacional tirar partido da situação. Os jogos em casa são para ganhar e se conseguirmos construir uma vantagem folgada, pode-se considerar meio caminho andado para no final das contas garantir o que se almeja.

Vontade de repetir a proeza que nos levou ao CAN há 15 anos, não falta a André Nzuzi e seus pupilos. É também um forte desejo de todos angolanos amantes do futebol nacional, sobretudo depois do início tropeçante que tiveram os Palancas Negras na caminhada para o CAN de Marrocos, em que já averbamos duas derrotas, a última das quais na quarta-feira em Luanda, diante do Burquina Faso que venceu por 0-3.

Os Palanquinhas devem fazer das fraquezas da Selecção sénior, motivação para o jogo desta tarde diante dos elefantes. A empreitada não vai ser fácil e vai obrigar os angolanos a muita paciência, calma e inteligência para dominar o adversário. A equipa técnica deve ser persuasiva na prelecção para que os jogadores evitem inventar um esquema táctico diferente do que foi ensaiado até ontem.

Todos almejamos que os Palanquinhas tornem real o sonho dos angolanos de Cabinda ao Cunene. Portanto, o público é chamado uma vez mais a dar o valioso contributo, através da presença em massa no estádio. Não devemos relacionar o que aconteceu quarta-feira com os Palancas Negras com o que esperámos destes bravos e destemidos rapazes.

Estes jogadores são jovens e precisam de carinho, de apoio, de conforto. Os amantes do futebol são chamados a fazer a corrente de fé e a colaborar para que possamos tirar o máximo partido do factor casa. A nossa selecção precisa de motivação extra para construir um resultado confortável que permita viajar para Abidjan sem muita pressão. Vamos todos hoje aos Coqueiros apoiar a nossa selecção e gritar bem alto
FORÇA ANGOLA!

Últimas Opinies

  • 20 de Julho, 2019

    Acesso ao Qatar

    Apesar da qualificação inédita numa fase final de um Mundial de Futebol, algo que ocorreu curiosamente em 2006, edição organizada pela Alemanha, a Selecção Nacional.

    Ler mais »

  • 20 de Julho, 2019

    O honroso sexto lugar do nosso hquei em patins

    A recente participação de Angola no Campeonato do Mundo de Hóquei em Patins, que decorreu em Barcelona, Espanha, e que o nosso país se classificou em sexto lugar.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso período pré competitivo, nesta segunda quinzena de Julho, já queria ir para uma paragem, onde tivesse campos e equipas para realizarmos jogos.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    Final interessante

    Um mês depois de fortes emoções vividas nos estádios e em outros espaços fora e longe dos centros de disputa,  vamos ter,  finalmente,  amanhã dia 19, o cair do pano da XXXII edição do Campeonato Africano das Nações de futebol, organizado pelo Egipto.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    A dvida de Akw

    O dia 8 de Outubro de 2005, ficará para sempre gravado na história do desporto angolano e do futebol em particular.

    Ler mais »

Ver todas »