Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Vamos acreditar

14 de Agosto, 2017
O resultado obtido ontem pelos Palancas Negras diante do Madagáscar, em Antananarivo, abre boas perspectivas para o confronto da segunda-mão, marcado para domingo próximo no estádio 11 de Novembro. O Quénia, se alguma vez foi divisado geograficamente distante, está mais próximo de Angola, sendo o resto uma questão de crença e dedicação.

Aliás, quando o sorteio nos põe a jogar a segunda-mão em casa numa eliminatória derradeira, é por si já uma dádiva. Jogar em casa confere, em qualquer circunstância, uma soberana oportunidade que não deve ser desperdiçada. E podemos dizer que Angola se acha nesta condição. É certo que jogo é sempre jogo, nos coloca à frente um adversário também com objectivos.

Mas pior ainda é perder uma qualificação em casa. Dai que aos pupilos de Beto Bianchi, se exige agora uma maior concentração no trabalho, e mais do que isso a expressão do sentimento de que são capazes. O trabalho a desenvolver nos próximos dias deve estar totalmente concentrado naquilo que será preciso para vencer no jogo de domingo e visar o passaporte para a fase final do CHA\'2018.

A equipa precisa apenas corrigir alguns erros, não muito graves, que cometeu e. Antananarivo e acertar nos detalhes essenciais, quer na defesa, no meio-campo ou no sector ofensivo. Nada parece complicado nesta caminhada. A equipa tem vindo a mostrar nos últimos jogos já uma outra personalidade, e será preciso manter o nível e agrega-lo outras valências.

Mas convém ressaltar ainda que a responsabilidade de contornar o Madagáscar não deve ser entendida como exclusiva da equipa técnica e jogadores. É, em última instância, de todos nós. Caberá a cada um contribuir naquilo que pode. O público terá de marcar presença em força no estádio e exercer o papel de 12 jogador. A Selecção precisa deste apoio para que se sinta galvanizada em campo.

Enquanto isso, a Federação Angolana de Futebol deve desenvolver um bom trabalho de marketing nos dias que se seguem, como forma de sensibilizar o público ao jogo. Há que entender que os jogos decisivos envolvem maior responsabilidade. Não são diferentes dos anteriores, mas assumem um carácter especial, devendo por isso ser vistos noutra perspectiva.

Juntos somos mais fortes e capazes. O resto, é fazer uma corrente positiva para que domingo, no fim dos 90 minutos, possamos hastear as bandeiras e. Festejar com alegria a passagem da Selecção Nacional a mais uma fase final do Campeonato Africano das Nações para jogadores que evoluem no país. Vamos acreditar...

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »