Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Vamos ao trabalho

09 de Março, 2017
Confirmada a contratação do hispano -brasileiro Beto Bianchi para comandar os destinos da Selecção Nacional de futebol, urge passar ao trabalho e aproveitar o tempo que nos separa do começo das eliminatórias para o Campeonato Africano das Nações de 2019, com sede na República Unida dos Camarões. Se ainda restavam dúvidas, estas, foram desfeitas ontem. Está ultrapassada a questão, que tem a ver com o treinador dos Palancas Negras.

Nas suas declarações, Artur de Almeida e Silva, presidente da Federação Angolana de Futebol, evocou os condicionalismos relativos à transacção cambial, como tendo estado na base da aposta num técnico que já trabalha no nosso mercado. Esperamos só, que estes mesmos condicionalismo não obstaculizem o programa de trabalho que se exige, para que a equipa possa trabalhar dentro do que for o desejo do corpo técnico.

É consabido, que a situação financeira do país não é salutar, no momento presente, mas é importante que quem tenha responsabilidades acrescidas, como é dirigir uma instituição desportiva de grande dimensão, saiba encontrar alternativas para ao menos remediar situações. A selecção vai precisar de fazer estágios, de realizar jogos de controlo quando for preciso, e torna-se constrangedor encontrar obstáculos.

O técnico ora contratado, não precisa de provar nada. É por todos nós conhecido, e já deu bastas provas da sua maturidade profissional. Mais do que isso, é ambicioso, gosta de desafios, e procurar vencê-los. Ao menos, ficou subentendido nas suas palavras, quando diz que não estava cá em turismo, mas para trabalhar, assumir o desejo de colocar a selecção de Angola, lá onde deve merecer estar.

Porém, é importante reconhecer, que só a vontade e a determinação do técnico não basta. É preciso aliar a este desejo outros elementos, tal como, as condições técnicas e materiais que permitam um trabalho isento de contratempos.

Se trabalhar assim, podemos ter esperança numa selecção com eficácia e argumentos competitivos, capaz de encarar os adversários em igualdade de circunstâncias.

Vamos esperar que o seleccionador proceda, nos próximos dias, à primeira convocatória e depois veremos, como se arranjam as coisas.
À partida, fique claro que ninguém mais espera por um futebol sofrível, como da última selecção. Aliás, às selecções muitas vezes não se exige apenas vitórias, porque o futebol é passível de outros resultados. Mas de futebol bonito, e o toque que agrade o público, mesmo na ausência de vitória.

Infelizmente, a selecção dos últimos tempos, nem isso fazia. Não tinha futebol. As debilidades eram tantas, ao ponto de até se registar erros de base, como incapacidade de fazer um passe certo, falta de visão periférica nas jogadas de ataque. Que isso passe a fazer parte do passado, queremos uma selecção com futebol expressivo.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »