Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Velas enfunadas

06 de Outubro, 2016
A realização do Campeonato Africano de vela na categoria de optimist, em Luanda, a partir de amanhã é mais uma oportunidade que a modalidade tem de expandir-se pelo país adentro, principalmente nas zonas do litoral, onde a prática deve ser sempre facilitada devido à extensa costa marítima que o país tem.

Angola é dos países cuja prática dos desportos náuticos é facilitada pela costa litoral que tem, com a vela a surgir em grande plano nas diversas categorias, sendo o optimist uma das mais movimentadas.

A modalidade já registou grande aderência da parte de jovens e crianças em anos idos, com a concentração de muitos praticantes na Ilha de Luanda, de entre os quais saíram os primeiros atletas a representar as cores do país em competições internacionais, que acabaram por surpreender ao posicionarem-se em lugares de destaque.

Reservado a praticantes dos 13 aos 15 anos, o optimist é das categorias que mais se destaca ao nível de África e não só. Angola é campeã africana em masculino, a prova alberga nas suas águas pela primeira vez os nossos jovens velejadores nas duas classes que aspiram a lugares de destaque no pódio, a conquista dos primeiros postos é a meta imediata.

O campeonato que amanhã arranca, regista uma diminuição no número de participantes, dado a desistência à última hora de alguns países por dificuldades financeiras, mas nem isso quebra o êxito esperado na competição. Em fase de mudança, o órgão reitor da modalidade aponta para uma nova massificação igual ao sucedido entre a década de setenta e oitenta, quando centenas de meninos tomaram contacto pela primeira vez com a modalidade, e do qual saíram depois os primeiros campeões do país.

Com a chegada hoje a Luanda das primeiras delegações ao certame, a prova ganha corpo. A organização do evento garantiu que as condições estão criadas para a disputa do torneio, que trás ao país os melhores velejadores de sete países do continente.

Durante oito dias, os olhos do continente vão estar direccionados para a capital angolana, onde a vela tem certamente um estatuto privilegiado, de primeira página na imprensa, pois os melhores de África estarão em competição para a sua própria superação.

As velas vão desfraldar aos ventos, e com elas a perícia dos jovens que desafiam a força das águas luandenses, numa prova que se antevê acirrada, mas em que a meta dos angolanos é terminar vitoriosos. Para os amantes dos desportos náuticos e não só, a partir de amanhã todos os caminhos vão dar à Ilha de Luanda, a vela africana estará em festa com o "Africano" de optimist na capital angolana.

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »