Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Vem a o trumunu

23 de Outubro, 2015
Os Palancas Negras trabalham hoje pela última vez tendo em vista o jogo de amanhã, no estádio 11 de Novembro, diante da sua congénere da África do Sul. O mesmo conta para a segunda-mão da derradeira eliminatória qualificativa ao CHAN'2016, com sede no Burundi. No primeiro confronto a vitória sorriu a favor por 2-0.

Trata-se de um jogo que terá de ser encarado com maior sentido de responsabilidade. Pois a vitória de Pretória não assegura já a qualificação, sendo que o adversário, como é lógico, acalenta ainda alguma esperança de inverter o quadro actual. Portanto, não deve haver ainda lançamento de foguetes. Esperamos bem que a equipa tenha aproveitado da melhor forma as sessões de treino de que dispôs ao longo da semana para o um trabalho de correcção daquilo que eventualmente não tenha corrido à contento nos primeiros 90 minutos, já que nem sempre a vitória é reflexo de total excelência.

Mas estamos certos que o espírito de optimismo que reina no seio do grupo vai jogar papel determinante. De resto, há a assinalar o factor do grupo já se conhecer perfeitamente, embora seja sempre importante rever os esquemas ou introduzir algumas inovações no modelo de jogo.

Estamos, por tudo isso, certos que jogadores e equipa técnica esbanjam muita confiança, e vão, em face disso, buscar argumentos suficientes para fazer um resultado que não comprometa as suas aspirações. Se é verdade que pretendemos reaparecer depois de uma fase menos boa, então a oportunidade está desta vez à vista. Burundi'2016 é uma meta que não pode escapar, e para tanto, urge conjugar esforços redobrados para que a prestação e o resultado no jogo de amanhã correspondam às ambições sustentadas. Esperamos também que o público acorra em massa ao estádio e possa exercer o papel de décimo segundo jogador.

É nestes momentos de produtividade ou êxitos competitivos que se estabelece a empatia com o público, e os últimos resultados da selecção e sobretudo o seu embalo classificativo sensibiliza o público amante do futebol estar presente nos momentos em que a equipa esteja em evidência e o seu apoio seja importante.

De resto, para o jogo de amanhã não há muitas recomendações. A equipa precisa apenas apostar mais naquilo que é capaz e mais do que isso tirar proveito daquilo que a condição caseira pode proporcionar. O difícil foi ter chegado até aqui, e não pode ser o passo conclusivo.

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »