Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Verdadeiro tira-teimas

05 de Maio, 2017
As formações do Petro de Luanda e do Sagrada Esperança da Lunda Norte, por sinal primeiro e quarto classificados do Girabola Zap, e separadas por escassos três pontos, preparam com esmero o confronto entre si marcado para domingo no Estádio 11 de Novembro, para a 13ª jornada.

O jogo está envolto de redobrada expectativa nos bastidores da modalidade, muito à custa do prestígio granjeado pelos dois emblemas ao longo dos anos e mais do que isso pela determinação competitiva que têm vindo a evidenciar na presente edição. De resto, estamos a falar de um emparceiramento entre equipas que dão cartas desde a primeira jornada, e classificadas no pelotão de honra.

Adeptos das duas equipas estarão, certamente, na maior ansiedade, cientes que o desfecho que o jogo vier a conhecer terá forte implicação na ordem classificativa das equipas. Em caso de vitória da equipa anfitriã está galga mais alguns degraus rumo à liderança e a ser o inverso continuam os lundas a espalhar o brilho diamantífero no topo.

Depois de uma certa retracção, dando espaço a outras formações, como Recreativo do Libolo e Kabuscorp do Palanca, sobretudo estes, tricolores e lundas têm lutado para o resgate da sua mística.

Tal não tem sido fácil, mas elas não perdem a capacidade de persistência. Tanto assim é que na edição passada o Petro esteve à beira da ruptura com a crise, calculando-se que para si este ano seja do tudo ou nada.

Também o Sagrada Esperança entrou para o presente campeonato de cara lavada. A equipa está a fazer uma prova a todos os título brilhante, e embora a sua direcção, no quadro de alguma humildade diga que o título não é a sua meta, mas convenhamos reconhecer que Ekran Asman e seus rapazes têm jogado com o timbre de campeões.Classificativamente os lundas vão em primeiro lugar com 28 pontos, tendo como objectivo dilatar a vantagem e partir depois para a segunda volta com as contas melhor controladas.

Mas, o adversário de hoje, que ocupa o quarto lugar, também tem objectivos, e espera somar para consolidar a esperança de atingi-los. Aliás, quem tem objectivo de chegar ao longe está obrigado a dificultar os seus principais concorrentes. Afinal é mais fácil sermos nós próprios a travar o concorrente ao lugar de esperar que sejam os outros a fazê-lo por nós. Dai que os lundas devem tomar enormes cautelas, se é que queiram escapar das labaredas petrolíferas.

Mas independentemente daquilo que perseguem as equipas, outro aspecto que interessa salientar é a qualidade de jogo que venham proporcionar. As duas equipas, mesmo naqueles confrontos em que uma se superioriza em larga escala da outra, sempre trataram de presentear os seus adeptos com espectáculo de qualidade aceitável, e espera-se que hoje a coisa não seja diferente.

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »