Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Viva o Girabola

10 de Fevereiro, 2017
Temos Campeonato. O tão esperado Girabola de 2017 abre hoje as cortinas, para gáudio dos amantes do desporto-rei, que deste modo saciam a "fome" de bola que se arrastava desde o ano passado, na edição em que o 1º de Agosto se sagrou campeão e quebrou um jejum de dez anos sem erguer o troféu, numa competição que teve luta renhida até ao fim, com os dois grandes emblemas do país, 1º de Agosto e Petro de Luanda, em disputa.

O Girabola dá esta tarde o pontapé de saída, com o Recreativo do Libolo a baptizar o estreante Santa Rita de Cássia em casa deste, o registo de realce deste Girabola tem a ver com a redução de uma equipas luandenses na prova, isto é, a ausência do Benfica de Luanda.

Com a despromoção do 4 de Abril e do Porcelana, o campeonato deixa de ser jogado no Cuando Cubango e no Cuanza Norte, enquanto a província de Benguela volta a ter duas equipas na prova, com o "regresso" do 1º de Maio, que se junta à Académica do Lobito.

O Leste do país volta a estar bem representado nas três províncias, com representantes, Sagrada Esperança, Lunda Norte, Progresso da Lunda Sul, Bravos do Maquis, Moxico, facto que certamente vai mexer com os adeptos daquelas paragens.

O 1ºde Agosto tem responsabilidades acrescidas, como campeão nacional, mas os militares têm a estreia adiada por força da participação nas eliminatórias de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões de África.

O campeão perdeu duas das suas principais figuras, Gelson e Ary Papel, a evoluír no futebol luso, após acordo entre o seu clube e o Sporting de Portugal. O seu grande rival de Luanda, Petro Atlético, tem um ataque formado com uma dupla brasileira, os adeptos petrolíferos depositam grandes esperanças no retorno da equipa às conquistas nas competições internas, dado que o título nacional há muito não faz morada naquela galeria.

Interclube e Kabuscorp do Palanca assumem-se como candidato ao título. Se o primeiro tem como reforço de peso, a contratação do treinador Paulo Torres, o conjunto do Palanca optou por manter Romeu Filemon, à frente da equipa técnica.

De resto, em tempo de contenção financeira, grande parte das agremiações desportivas optaram pela preparação caseira, ao contrário do habitual em que preferiam fazer estágios fora do país, alguns sem os resultados que se esperavam.

As limitações financeiras levou a que os clubes não recorressem ao mercado externo nas suas contratações, ao contrário dos anos anteriores. Como se diz na gíria, "quem não tem cão caça com gato", e foi isso, que as direcções do clubes fizeram, adaptaram-se ao momento menos bom que o país vive, em termos financeiros.

Últimas Opinies

  • 23 de Junho, 2018

    Noites brancas

    O escritor russo Fiodor Dostoievski deu corpo ao fenómeno noites brancas em São Petersburgo, quando em 1848 escreveu um romance com a mesma denominação.

    Ler mais »

  • 22 de Junho, 2018

    A (in) eficcia do VAR

    O VAR, ou, se preferirem, vídeo-árbitro, é a grande novidade do Campeonato do Mundo, que decorre na Rússia, cuja tecnologia foi testada no Mundial de Clubes.

    Ler mais »

  • 21 de Junho, 2018

    No violncia!...

    Ainda está-se por saber se o futebol está propenso à união ou à discórdia entre os membros da sua tribo. À partida, é um fenómeno de massas, com forte tendência de dar lugar a acesas discussões, intermináveis em certos casos, sempre com cada um dos intervenientes a tentar chamar à si a razão.

    Ler mais »

  • 20 de Junho, 2018

    Febre de bola

    O mundial entra hoje no sétimo dia de competição. Irresistível, como sempre, ou não fosse a  maior competição de selecções ao nível do planeta. Mediático, o campeonato do mundo chega a todas às sensibilidades e até pode tornar-se num forte agente da diplomacia mundial, que o digam o chefe da Arábia Saudita presente no jogo de abertura e o presidente Putin da Rússia, no confronto entre os dois países, em que o mandatária da FIFA deve ter servido de medianeiro nas conversas. Do que falaram, eles lá sabem, mas as imagens correram o mundo.

    Ler mais »

  • 19 de Junho, 2018

    Jornada de gritos...

    Quando logo mais as selecções da Rússia e do Egipto descerem ao relvado do Estádio São Petersburgo, estará a começar a segunda jornada da primeira fase do Campeonato do Mundo, que, não sendo cem por cento decisiva, pode, porém, começar afastar a cortina de fumo. Há coisas, que, no desfecho desta ronda, ficarão já clarificadas e outras que se vão manter incógnitas, até aos derradeiros 90 minutos.

    Ler mais »

Ver todas »