Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Viva o Girabola

10 de Fevereiro, 2017
Temos Campeonato. O tão esperado Girabola de 2017 abre hoje as cortinas, para gáudio dos amantes do desporto-rei, que deste modo saciam a "fome" de bola que se arrastava desde o ano passado, na edição em que o 1º de Agosto se sagrou campeão e quebrou um jejum de dez anos sem erguer o troféu, numa competição que teve luta renhida até ao fim, com os dois grandes emblemas do país, 1º de Agosto e Petro de Luanda, em disputa.

O Girabola dá esta tarde o pontapé de saída, com o Recreativo do Libolo a baptizar o estreante Santa Rita de Cássia em casa deste, o registo de realce deste Girabola tem a ver com a redução de uma equipas luandenses na prova, isto é, a ausência do Benfica de Luanda.

Com a despromoção do 4 de Abril e do Porcelana, o campeonato deixa de ser jogado no Cuando Cubango e no Cuanza Norte, enquanto a província de Benguela volta a ter duas equipas na prova, com o "regresso" do 1º de Maio, que se junta à Académica do Lobito.

O Leste do país volta a estar bem representado nas três províncias, com representantes, Sagrada Esperança, Lunda Norte, Progresso da Lunda Sul, Bravos do Maquis, Moxico, facto que certamente vai mexer com os adeptos daquelas paragens.

O 1ºde Agosto tem responsabilidades acrescidas, como campeão nacional, mas os militares têm a estreia adiada por força da participação nas eliminatórias de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões de África.

O campeão perdeu duas das suas principais figuras, Gelson e Ary Papel, a evoluír no futebol luso, após acordo entre o seu clube e o Sporting de Portugal. O seu grande rival de Luanda, Petro Atlético, tem um ataque formado com uma dupla brasileira, os adeptos petrolíferos depositam grandes esperanças no retorno da equipa às conquistas nas competições internas, dado que o título nacional há muito não faz morada naquela galeria.

Interclube e Kabuscorp do Palanca assumem-se como candidato ao título. Se o primeiro tem como reforço de peso, a contratação do treinador Paulo Torres, o conjunto do Palanca optou por manter Romeu Filemon, à frente da equipa técnica.

De resto, em tempo de contenção financeira, grande parte das agremiações desportivas optaram pela preparação caseira, ao contrário do habitual em que preferiam fazer estágios fora do país, alguns sem os resultados que se esperavam.

As limitações financeiras levou a que os clubes não recorressem ao mercado externo nas suas contratações, ao contrário dos anos anteriores. Como se diz na gíria, "quem não tem cão caça com gato", e foi isso, que as direcções do clubes fizeram, adaptaram-se ao momento menos bom que o país vive, em termos financeiros.

Últimas Opinies

  • 13 de Agosto, 2018

    Marketing desportivo no vai morrer amanh!

    Que o desporto e o marketing estão numa relação do tipo, “ epá sem ti eu não vivo, e sem você eu não existo”, já algum tempo, isso todos nós sabemos.

    Ler mais »

  • 13 de Agosto, 2018

    Devedores do BPC e o exemplo de Messi

    Não quero citar aqui os nomes, porque quem vive na cidade sabe quem são... mas isto posso dizer: algumas das figuras do nosso desporto nacional, e do futebol em particular, todos eles revelados o ano passado,  numa assustadora lista que veio a público, não se sabe porque engenharia, como tendo afinal contraído créditos agora mal parado, no maior banco público nacional -  e estou a falar do Banco de Poupança e Crédito -  é um assunto, é uma realidade, que vem destapar o véu e dar a ver que há clubes da batota, que só estão na alta roda do nosso campeonato, porque os dinheiros que os sustentam não são honrados.

    Ler mais »

  • 13 de Agosto, 2018

    Citaes

    Muitos clubes participaram nos seus campeonatos locais provinciais, mas não estavam legais do ponto de vista administrativo. Alguns processos podem levar algum tempo e, para não criármos dificuldades, tivemos que devolver.

    Ler mais »

  • 11 de Agosto, 2018

    "Quatro anos sem pena"

    Em duas ocasiões recentes Angola acaba de ver consagrado Demarte Pena em Top Angolano do desporto, enquanto no espaço de menos dum mês arrebatou os Prémios ‘Globo de Ouro’ e ‘Novo Jornal & Expansão’, referentes a 2017.

    Ler mais »

  • 11 de Agosto, 2018

    Maputo o alvo a seguir do pas

    Angola é um país que, desde muito cedo, começou a se afirmar na arena do desporto. Nesse aspecto é conveniente realçar que, logo após a conquista da Independência Nacional.

    Ler mais »

Ver todas »