Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Zebras para domar...

21 de Março, 2019
A Selecção Nacional de futebol de honras, às ordens do sérvio Srdjan Vasiljevic, decide amanhã, em Franciston, Botswana, a qualificação para o Campeonato Africano das Nações (CAN), que o Egipto acolhe de 19 de Junho a 21 de Julho deste ano.
Angola enfrenta a congénere do Botswana, em jogo referente a sexta e última jornada do Grupo I do apuramento a 32ª edição da grande montra do futebol continental e em que a conquista dos três pontos é tão indispensável, como se de pão para a boca se tratasse.
Pressionada pelo outro jogo do grupo, que coloca frente-a-frente, em Ouagadougou, as selecções do Burkina Faso e da Mauritânia, esta já qualificada, Angola está proibida de perder, sob pena de ver a sua sorte adiada uma vez mais num CAN.E tudo porque em caso de empate ou derrota, os Palancas Negras podem se ver ultrapassados na fila do agrupamento pelos Cavalos burkinabes, que se exibem ainda com a coroa de vice-campeões africanos.
Por isso mesmo, a conquista dos três pontos, neste jogo frente as Zebras, assume-se como crucial para os intentos do conjunto orientado por Srdjan Vasiljevic. Até porque com uma eventual vitória amanhã sobre os tswaneses, os angolanos assinalam o regresso à grande montra do futebol africano, depois de falharem às edições de 2015, na Guiné-Equatorial, e de 2017, no Gabão.
Para já, é uma tarefa que não se afigura fácil, para os comandados de Srdjan Vasiljevic, pois mesmo não tendo nada a perder e nem a ganhar nesse duelo da sexta ronda do Grupo I, os tswaneses não cederão os três pontos de bandeja.
Pelo contrário, mesmo estando na cauda da tabela de classificação, com um ponto, vão procurar jogar pela honra e prestígio, buscando a única vitória nesta caminhada de apuramento ao Egipto-2019, sobretudo por actuarem na condição de anfitriões.
Com um saldo de quatro vitórias e uma derrota, à frente de Angola, a Mauritânia, já qualificada, soma 12 pontos na liderança do grupo, contra nove da Selecção Nacional e sete do Burkina Faso, no 2º e 3º postos, respectivamente, e que discutem a outra vaga para o Egipto.
O Botswana está na cauda do grupo com apenas um ponto.
Os Palancas, sublinhe-se, estrearam-se na edição da Taça de África das Nações de 1996, organizada pela África do Sul. Além da presença neste CAN que a pátria Nelson Mandela acolheu, Angola participou ainda nas edições de 1998 (no Burkina Faso), 2006 (Egipto), 2008 (Ghana), 2010 (que o país organizou), 2012 (co-organizada pelo Gabão e Guiné Equatorial) e finalmente em 2013 (igualmente com palco na pátria sul-africana).
De resto, para inscreverem, pela oitava vez, o seu nome na grande montra do futebol continental, os Palancas têm a obrigação de domar amanhã as Zebras do Botswana, em Francistown, um palco que dista cerca de 400 quilómetros de Gaberone. A ver vamos!!!...


Últimas Opinies

  • 20 de Janeiro, 2020

    Deixem a Marximina regressar

    Olhei para o tempo que já passou desde a suspensão da árbitra Marximina Bernardo, acabou penalizada pela Federação Angolana de Futebol (FAF), sobretudo porque, em minha opinião, este órgão hesita em não condescender exagerada decisão que então tomou, quando para “homens do apito” as punições quase que sabem a flores.

    Ler mais »

  • 20 de Janeiro, 2020

    Cartas dos Leitores

    O orçamento não varia muito dos anos anteriores. Podemos dizer que é ligeiramente superior a dois milhões de dólares por ano. Este é o valor que temos consagrado para o Sagrada Esperança.

    Ler mais »

  • 20 de Janeiro, 2020

    Regatas para Tquio

    Marcado por aceso despique, o Campeonato Africano de Vela nas classes 420 e 470, realizado de 13 a 18 do corrente mês na Contra-Costa da Ilha do Cabo, em Luanda, confirmou mais uma qualificação de Angola à maior montra desportiva do globo.

    Ler mais »

  • 18 de Janeiro, 2020

    Welwitschias voltam a dar o ar da sua graa

    Depois da “travessia do deserto” por que passou nos últimos tempos, obrigando a ficar inactiva, a Selecção Nacional de Futebol feminina pode testemunhar um novo ciclo no ano que dá ainda os seus primeiros passos.

    Ler mais »

  • 18 de Janeiro, 2020

    Futebol feminino busca resgate da mstica

    Já houve tempos que o futebol feminino era de facto uma festa cá entre nós, pois inflamava paixões e, de facto arrastava multidões.

    Ler mais »

Ver todas »