Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

de ,
Dois cabeceamentos certeiros, de Sargento aos 12 minutos, naquele que foi o primeiro golo do Girabola Zap 2019/2020, e de Nandinho, aos 56\', permitiram deram a vitória do Clube Desportivo da Huíla (CDH) sobre o FC Bravos do Maquis, no jogo inaugural da presente edição da prova, disputado no Estádio do Ferroviário, no Lubango.
Sob o olhar expectante dos adeptos, ávidos em voltar a viver as emoções da maior prova do futebol nacional proporcionada pelos artistas em campo, no regresso do Girabola aos campos, a formação afecta à Região Militar Sul, apresentou-se mais esclarecida na abordagem do jogo e fruto disso impôs total domínio sobre o adversário.
Sem o seu técnico principal no banco, devido a castigo federativo, os pupilos de Mário Soares não se fizeram rogados e cedo traduziram em vantagem a superioridade que evidenciavam diante da equipa de Zeca Amaral.
Assim, foi sem surpresa que aos 12 minutos, apanhados em contra-ataque, numa jogada rápida que chega a grande área dos visitantes, que o defensor Sargento, após tentativas de insistência e ante a incapacidade da defesa maquisarde executou um cabeceamento certeiro, fazendo o 1-0 na partida.
Acusado e ressentido pelo tento sofrido, o Bravos do Maquis tentou inverter o quadro com algumas incursões ofensivas, contudo sem sucesso face à solidez e coesão defensiva dos militares huilanos, que souberam sempre anular os seus intentos.
E quando se esperava por uma reacção mais eficaz do Bravos do Maquis, face à desvantagem no marcador, ainda assim, foi do Desportivo da Huíla, que se revelou capaz e fruto disso ampliou o marcador por 2-0 por intermédio de Nandinho.
Por obra desse vantagem no marcador, o Desportivo foi dando um verdadeiro recital de futebol no relvado, o que lhe permitiu arrancar aplausos dos adeptos presentes no estádio. No entanto, até o apito para o final dos 90 minutos regulamentares o resultado não se alterou, ficando assim para história esta vitória do CDH sobre o Maquis no arranque da 42ª edição do Girabola Zap.
O juiz António Dungula teve uma actuação aceitável e sem qualquer influência no resultado final. Os seus dois auxiliares, Manuel Benguela e Nilton Benguela, também se apresentaram em bom plano no ajuizamento dos lances e por isso saem com uma nota positiva deste duelo do Ferrovia.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »