Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas dos Leitores

09 de Setembro, 2016
A selecção saiu do país autorizada pelo Minjud, para disputar o Campeonato Africano na Namíbia. Já no palco da prova, nos colocaram preocupações relacionadas com o pagamento anual da quota anual à Federação Internacional. Realço que o pagamento da quota não é responsabilidade do Ministério mas da própria Federação
António Gomes , director nacional de Políticas Desportivas

A luta é renhida e estamos conscientes disso. Mas acredito que o 1º de Maio está a atravessar um bom momento. Está forte e creio na possibilidade, isso é quase certo, que vamos permanecer na primeira divisão
Hélder Teixeira , treinador do1º de Maio de Benguela

Nós efectuámos três jogos amistosos durante a pausa, que considero terem sido proveitosos. Não estou a referir-me aos resultados que produzimos durante esses testes, mas sobretudo por permitir que os jogadores mantivessem a forma física e competitiva
José de Carvalho"Corola", técnico do ASA

O Progresso esteve bem, mas verdade se diga, alguém dividiu o jogo e este alguém chama-se equipa de arbitragem. Os árbitros não podem apenas sancionar, mas, sim, usar um papel muitas vezes pedagógico, o que não aconteceu quando o senhor João Goma exibiu vermelho ao nosso jogador
Roque Sapiri , treinador-adjunto do Sagrada Esperança


A PERGUNTA DO DIA
QUE SELECÇÃO GOSTARIA DE VER EM 2017 PARA AS ELIMINATÓRIAS AO CAN'2019?


Gostaria de ver uma selecção diferente desta que temos hoje. Para isso, é necessário fazer algo para além do que foi feito, a fim de obtermos resultados diferentes. Podíamos começar por fazer uma reflexão e achar os pontos negativos que contribuíram para a decadência do grupo e procurar superar Sérgio Ngola, estudante

Na certa uma selecção capaz de dignificar o país. Apelaria aos seleccionadores a serem mais cautelosos e sérios no seu trabalho. As constantes mudanças dos treinadores tem prejudicado muito as nossas selecções. Temos exemplo do Congo que durante muitas épocas não troca de seleccionador e tem bons resultados Mostafá Dicaba, atleta

Uma selecção capaz de se qualificar. Para isso, temos que ter mais organização administrativa e em termos desportivos. Actuamos nessas qualificativas de forma honrosa. Nem conseguimos a segunda posição do grupo. A formação é a base que deve ser explorada. Gombe Augusto , funcionário público

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »