Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas de Leitores

08 de Setembro, 2016
Dentro dos quatro objectivos estratégicos, a meta é produzir atletas de rendimento que permite que consigamos transferir por época, para os campeonatos mais competitivos dois ou mais atletas, por via da venda de passes.
Tomás Faria , presidente cessante do Petro de Luanda.

Estivemos bem, pois começamos a ganhar, mas infelizmente tivemos dois desaires. Sabe que no futebol um erro é fatal. O Libolo esteve bem, aproveitou os nossos erros e quando assim é, só temos que nos queixar.A vitória do adversário foi merecida por aquilo que se passou ao logo dos 90 minutos.
Abílio Amaral , treinador- adjunto do Interclube.

O Interclube com muita qualidade acabou por fazer um golo de bola parada, mas com algumas mudanças e com jogadores com muito carácter, conseguimos dar a volta ao resultado.
João Paulo Costa , treinador do Recreativo do Libolo.

Entrámos bem, mas deslumbrámo-nos. Pressionámos alto, a não deixar jogar a Suíça e fizemos isso muito bem, durante 15-20 minutos. Depois, houve um certo deslumbramento. Uma equipa que é campeã da Europa não tem de fazer faltas. Começámos bem, mas faltou-nos o resto: sermos competitivos quando era preciso.
Fernando Santos , seleccionador de Portugal.

A PERGUNTA DO DIA
As eleições na FAF acontecem este ano. É a favor da mudança, ou da continuidade?


Sou a favor da mudança, desde que seja para melhor. Estamos a ver o estado debilitado em que se encontra o nosso futebol, há a necessidade de se implementar novas políticas que dêem outra dinâmica à modalidade. O actual elenco já teve a oportunidade e deve dar lugar a outras ideias. Lucas Setekele, formador.

A mudança ou a continuidade deve ser definida com base nos resultados que a instituição apresenta. Assim, penso que não podemos atribuir o fracasso do futebol apenas à FAF. Existem outros pressupostos, que podem estar na base dessa fraqueza, como por exemplo, os treinadores e os próprios jogadores. Edivânio Francisco , estudante.

Penso que o elenco que gere esta Federação pode continuar, mas deve olhar mais para à formação de novos atletas. A questão financeira também deve ser revista, criar novas políticas porque muitas equipas têm dificuldades de pagar os atletas, e isso, pode reflectir-se no desempenho em campo. José Capêua , sapateiro

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »