Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas de Leitores

23 de Julho, 2015
“Estou a sentir alguma satisfação com a actuação dos jogadores. Eles começam a denotar mais entrega nos jogos, o que deixa bons indícios no futuro. Já há uma postura mais ofensiva e uma maior acutilância, o que nos proporciona mais esperanças”.
Elias José , presidente do ASA.

“Foi um jogo para esquecer, pois todos nós estamos conscientes de que não foi bom, a julgar pelo resultado. Mas de qualquer forma, pedimos calma aos nossos apoiantes, vamos procurar trabalhar mais, para dar-lhes alegria que muito merecem”.
kito Ribeiro , técnico do Progresso da LS.

“Realmente é um período bastante curto de recuperação, mas é nesse momento que a equipa técnica tem de trabalhar com ajuda de todos, desde os preparadores físicos, médicos e o departamento, para recuperarmos o mais rápido possível os jogadores”.
Alexandre Grasseli , técnico do Petro.

Estamos a falar de um acidente sob chuva torrencial e com muito baixa visibilidade. Era necessário accionar o safety-car, para neutralizar a corrida, antes de permitir que aquele guindaste entrasse na pista. Aquilo foi um erro”.
Alain Prost, tetracampeão de F1.

A PERGUNTA DO DIA
A reintegração de Eduardo Mingas nos trabalhos de preparação do “Cinco” Nacional, em Espanha, aumenta a expectativa do grupo na luta pela revalidação do título?


“O basquetebolista do Recreativo do Libolo tem somado pontos significativos nas competições que tem participado, daí a confiança da equipa técnica da Selecção Nacional. Pode-se pois dizer-se, que é realmente uma mais valia, a sua reintegração. Inácio Fernandes, estudante.


“A experiência profissional de Mingas, na selecção nacional, pode assegurar a conquista dos objectivos traçados pela equipa técnica, por isso, o regresso é bem vindo, depois de ter sofrido um leve alongamento no bíceps femoral. Sebastião Marques, estudante.


“O título de ‘hendecacampeões africanos’ é uma responsabilidade, que leva o técnico espanhol a apostar nos melhores basquetebolistas nacionais. Quer os que jogam em Angola, como os que actuam no exterior, para que possamos trazer a taça para casa. Toni Cunha, bailarino.


AVALIAÇÃO JD

ALEXANDRE GRASSELI
Técnico do Petro - Positivo -
Dois jogos, igual número de vitórias. Este é o saldo da equipa do Catetão, no regresso do Girabola, depois de 40 dias de “férias” forçadas. Vitórias, que ajudam a equipa a regressar ao top 5 do campeonato. No Moxico, mesmo em desvantagem, conseguiu encontrar o caminho para a vitória.


MILLER GOMES
Técnico do Kabuscorp - Negativo -
A derrota em casa, diante do Recreativo do Libolo, que o técnico bem conhece, deixou o Kabuscorp mais distante do grande objectivo: a conquista do título. Não obstante faltarem 13 jornadas, o mesmo que dizer 39 pontos em disputa, Miller Gomes vai ter muito trabalho pela frente.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »