Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas de Leitores

23 de Março, 2016
Prefiro que a equipa jogue em Luanda, porque aqui existem boas condições de trabalho, e um elevado número disponível de adversários. Podemos contar com equipas do Girabola para jogos amistosos, ou ainda com outras que evoluem cá nos campeonatos locais.
DOCAS QUITADICA, presidente do Bravos do Maquis.

A vitória sobre a Juventus é provavelmente a melhor coisa que aconteceu na minha carreira profissional. Foi o jogo mais bonito que já participei. Guardiola disse para que eu desse o meu melhor. Acho que ele é o melhor treinador do mundo do ponto de vista táctico.
KINGSLEY COMAN, jogador do Bayern de Munique.

Fazer movimento tão fortes em pontos de travagem é sempre perigoso. Estar muito perto me fez perder a referência de travagem , perdi o ponto certo e travei tarde demais. Eu leveui ele junto. Quando você está tão perto e chega na curva a 310 ou 315 km/h são coisas que podem acontecer.
FERNANDO ALONSO,
piloto da Mclaren.

Foi muito difícil ficar longe da selecção. Fui tratado pior do que um hooligan, pior do que um jogador que que se dopa. Durante quatro meses, eu não poderia treinar com minha equipa ou pisar no clube. Eu estava errado, eu lamento, mas a punição não foi lógica.
LUIZ SUAREZ, jogador do Barcelona.


A PERGUNTA DO DIA
Que prioridades deve o seleccionador nacional de futsal definir, tendo em conta o compromisso do IV Campeonato Africano das Nações?


A experiencia profissional do seleccionador nacional de futsal, Libânio Lopes, pode servir de base para que a equipa evolua de forma satisfatória, face aos compromissos do CAN da modalidade agendado para de 15 a 25 de Abril em Joanesburgo. Maurício Alfredo, estudante.

Libânio Lopes apesar de reconhecer o momento tardio que a selecção teve, no que toca a preparação da equipa, disse à imprensa que pretende realizar alguns jogos amistosos. Pensamos que esta seja a prioridade principal para corrigir as falhas do combinado nacional. Fabrice Maqueno , comerciante.

A comunicação entre federação, equipa técnica e jogadores é o denominador comum para que tenhamos êxitos desejados no IV Campeonato Africano das Nações. Porém, só mesmo o seleccionador pode decidir quais são as prioridades a definir para o bem de todos nós. Paty Nkundenga, comerciante

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »