Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas de Leitores

04 de Maio, 2016
Conseguimos o objectivo do jogo que era vencer. Entramos, é verdade, ansiosos e sofremos um golo de início, mas conseguimos dar a volta por cima e fazer dois para a vitória, num jogo em que o adversário esteve muito bem organizado. Restam-nos continuar a trabalhar para os restantes jogos com a mesma determinação, respeitando os nossos adversários.
PAULO COSTA, treinador do Recreativo do Libolo.

Sinto-me melhor a jogar na posição onde cresci, onde os técnicos da formação deram-me a base, que é na posição de médio - centro ou atrás do avançado, mas também posso jogar nas outras posições, como médio defensivo. Tenho aprendido mais, com o treinador. Já fiz três golos e quero fazer mais, porque espero sempre fazer mais, fruto do trabalho.
CARLINHOS, médio do Petro de Luanda.

O que se fez até agora é colocar as carroças à frente dos bois, daí que sempre nos opusemos à forma de actuação do actual presidente, que mostra completo desconhecimento da modalidade e dos verdadeiros problemas que estão na base da crítica situação, "não é bom para o país ir às competições internacionais com atletas que não actuam em qualquer clube”. GENIVALDO DIAS, secretário -geral cessante da FAT.

Começar o campeonato com quatro vitórias não é algo que pudesse esperar, mas é assim que tem sido. Estou muito feliz por isso. Foram quatro grandes corridas. Isso é bom, mas estou consciente de que isso não vai ser assim para sempre. O desporto é cheio de altos e baixos e os baixos vão chegar em algum momento.
NICO ROSBERG, piloto da Mercedes.


A PERGUNTA DO DIA
Angola está no grupo da morte do torneio de Andebol sénior feminino nos Jogos Olímpicos. Pode fazer boa figura?

As nossas senhoras podem fazer boa figura nesse torneio, porque nós somos uma potência a nível de África. E, se estamos colocados neste grupo, mostra aos outros que também somos bons nesta modalidade. Artur Onetwo, estudante.

Apesar de estarmos colocados no grupo da morte, acho que a nossa selecção deve ter respostas para todas as situações. As senhoras do andebol nunca nos deixaram ficar mal, elas sempre souberam representar o país, condignamente.Francisco André, recepcionista.

Acho que Angola não só pode fazer boa figura, como está em condições de representar a Nação condignamente, nesse torneio. Apesar de estar no grupo da morte com as selecções mais fortes do mundo, as nossas representantes podem ir longe.Stella Carvalho, supervisora.

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »