Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas do Leitor

19 de Dezembro, 2014
A 24ª edição do Campeonato do Mundo vai ser organizado no próximo ano, no nosso país. Meus compatriotas, temos de ganhar. Não há alternativa."
Gonçalves Muandumba, ministro da Juventude e Desportos

“Acho ser muito importante que comecemos a sair de Luanda, ir às províncias. Por isso, considero este projecto de Quipedro uma mais-valia, porque aqui também existem crianças que gostam de jogar à bola, mas é preciso conciliar o futebol com a escola de ensino.”
Akwá, ex-capitão dos Palancas Negras

“É de louvar essa iniciativa, porque podemos abordar perante o governador Boavida Neto, que é um homem de desporto e que fez um trabalho aturado em relação ao sector, quando passou pelo Namibe, os problemas do futebol bieno.”
João Pintar , técnico do Sporting do Bié

“Temos um plantel curto, mas com bons jogadores, uns mais novos, outros mais velhos, mas a equipa está bem construída. O nosso projecto é este, e por isso, não vai haver saídas nem entradas.”
José Mourinho, treinador do Chelsea


PERGUNTA DO DIA

Quais os benefícios que o desporto pode ter, após a abertura oficial do laboratório anti-doping?


Os benefícios são grandes, uma vez que o país, na qualidade de membro da Agência Mundial Anti-doping (WADA) procura mostrar o quanto tem trabalhado em prol do desenvolvimento do desporto. Portanto, façamos votos para que na altura certa seja então aberto o laboratório.
Felipe Satchinhemba , estudante

Os clubes e as selecções nacionais têm ganhos adicionais com a realização de testes anti-doping no país, a exemplo de países como Tunísia, África do Sul ou mesmo Portugal. Penso que o anúncio feito pelo Director Nacional dos Desportos, António Gomes, é uma boa nova para o desporto nacional.
Joaquim Manuel, estudante

A abertura oficial de um laboratório anti-doping dá ao desporto angolano uma imagem bem mais credível a nível internacional, pois os países que realizam este tipo de testes acabam por se tornar referência. Com isto, esperamos que venhamos também a ajudar os países vizinhos neste caso particular.
Pai Traking, kudurista


AVALIAÇÃO JD

BOAVIDA NETO
Governador do Bié - Positivo -
A província do Bié realizou recentemente um encontro para abordar a realidade do desporto local, numa iniciativa do Governo Provincial. Do encontro, no qual participaram vários agentes desportivos, foi possível obter um indicador para o desenvolvimento do desporto. A massificação e a aposta na formação são alguns dos passos.

CARLOS ROSA
Presidente da FAA - Negativo -
A 12 dias do tiro de largada, a organização da São Silvestre vê-se confrontada com uma notícia desagradável. Os vencedores da última edição da tradicional corrida de fim de ano não se deslocam a Angola para defender o título conquistado, por suposta falta de ritmo competitivo. Querendo ou não, isso pode retirar um pouco o brilho da prova.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »