Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas do Leitor

21 de Dezembro, 2014
Nós podemos e temos de ser grandes no futebol e ninguém vai fazer isso por nós, temos de ser nós próprios a fazer isso, de mãos dadas.
FERNANDO DIAS DOS SNTOS, presidente da Assembleia Nacional

Se produzirmos 80 por cento dentro do clube, acreditamos que vamos salvaguardar a coesão da equipa e o estilo de jogo. É nossa intenção recuperar a identidade do clube, algo que pretendemos voltar a implementar para evitar situações de atletas que abandonem a equipa sem dizer nada.
TOMÁS FARIA, presidente do Petro de Luanda

Já estou recuperado e espero ajudar a equipa a voltar a ser campeão em 2015. Penso que será possível, porque temos um plantel com muita qualidade e com fortes possibilidades de fazer um campeonato muito melhor que este que acabámos em 2014
ÉLIO, jogador do Kabuscorp do Palanca

É preciso juntar essas sinergias às que o Estado está a dinamizar, sobretudo, nas escolas e nas comunidades. Precisamos agora de melhorar na qualidade, gestão, na formação dos agentes desportivos, atletas e técnicos e agentes envolvidos no desporto.
GONÇALVES MUANDUMBA, ministro da Juventude e Desportos


PERGUNTA DO DIA

O técnico Bernardino Pedroto é merecedor do voto de confiança que recebeu dos jogadores da sua nova equipa?


O técnico do Recreativo da Caála para a época futebolística de 2015, Bernardino Pedroto, pelo seu currículo e pelo número de títulos já conquistados no país, merece toda a confiança dos atletas da única equipa do Planalto Central na Primeira Divisão. Portanto, bem haja esta sincronização.
Simão César, comerciante

O estimulo que o técnico recebe nesta altura dos jogadores do Caala é sem sombra de dúvidas bastante positivo. Mas no mundo futebolístico, tudo isto deve ser constatado ao longo da época, enquanto decorrer o campeonato. Por isso mesmo espero que Pedroto saiba retribuir o feito.
César Trinta, conta própria

Apesar do insucesso de Bernardino Pedroto ao serviço do Interclube, quando anteriormente se deu bem no Atlético Sport Aviação (ASA) e no Petro de Luanda, não pode ser posta em causa a sua competência como treinador. Portanto, ele acabou por ser a aposta certa do Recreativo da caala.
Francisco Nhany, conta própria


AVALIAÇÃO JD


NORBERTO ALVES
Treinador do Libolo - Positivo -
Num campeonato em que o país organizador teve três representantes, atingir a final e erguer o troféu não foi obra fácil. O Libolo deu luta do princípio ao fim e mostrou ao continente africano a vitalidade do basquetebol angolano. Norberto Alves e sua rapaziada são merecedores de todos os elogios do mundo.

1º DE AGOSTO
Equipa do Girabola - Negativo -
Na sequência do "caso" Ary Papel, a equipa do 1º de Agosto também não saiu impune. Ela pode pagar uma multa de 300 mil kwanzas à FAF e realizar dois jogos à porta fechada na próxima época. Não é uma boa nota para um clube da sua grandeza. É preciso disciplinar a sua massa de adeptos.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »