Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas dos Leitores

23 de Novembro, 2015
Apesar do talento futebolístico do país, constata-se que nos últimos tempos a selecção nacional e as respectivas categorias inferiores das nossas selecções não têm conseguido bons resultados. Em relação ao Petro, o trabalho pode identificar a sua estratégia com a missão ambiciosa que o grémio dispõe através de um grupo de técnicos com potencial.
Tomás Faria, presidente do Petro de Luanda

Já cometemos o erro de afastar o professor Oliveira Gonçalves, quando na verdade o problema não era dele. Ninguém quis saber que na verdade o problema residia no facto de que a maior parte dos jogadores já tinham passado da idade média para representar a selecção.
Mateus Vieira Dias "Mané", ex-internacional angolano

Temos que pagar primeiro as dívidas. Depois vamos pensar na segunda divisão. Ela só acontece em Junho e até lá muita coisa pode acontecer. Não temos onde tirar o dinheiro, estamos a depender de um eventual patrocínio ou de alguém de boa vontade.
Manuel Quitadica "Docas", presidente do FC Bravos do Maquis

Estamos a conversar para possivelmente renovar o contrato. Estamos a negociar. Ainda não há uma decisão final. Conversamos, isso é bom, quer dizer que há uma vontade comum de o fazer. Foi o clube que me chamou para conversar, não fui eu que pedi. É algo bom.
Laurent Blanc, treinador do PSG

A PERGUNTA DO DIA
A falta de conhecimento do futebol nacional pode comprometer os objectivos do técnico Roberto Bianchi, substituto de Alexandre Grasseli no Petro de Luanda?


Ao que tudo indica, o novo inquilino na equipa principal do Atlético Petróleos de Luanda pouco ou nada sabe da nossa realidade futebolística, e isso pode sim constituir um obstáculo aos objectivos que a direcção tem que passam pela conquista do Girabola. Mas o tempo pode ajudar a resolver isso.
Agostinho João, comerciante


A direcção da equipa com mais títulos no Girabola voltou a apostar num treinador estrangeiro sabendo que isso pressupõe não apenas vantagens mas também desvantagens. Uma das desvantagens é precisamente o facto de o treinador poder não conhecer a realidade do nosso futebol. Mas os dirigentes do clube sabem o que fazem.
Jorge Monteiro, estudante


Tomás Faria, na qualidade de dirigente máximo do clube manifesta ambição de voltar a ver a equipa a conquistar títulos no Girabola. Em função de as coisas não terem dado certo com o Alexandre Grasseli decidiu apostar num outro treinador estrangeiro. É possível que desta vez as coisas saiam como planejam em função da aposta que fazem.
Mike Mateus, estudante



Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »