Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas dos leitores

21 de Fevereiro, 2016
O ASA tem os seus patrocinadores, apesar das dificuldades procuram em todas as épocas cumprir com as suas responsabilidades financeiras. Portanto, esta situação de um grande número de jogos em casa pode funcionar como um reforço financeiro para as suas finanças, quer com as receitas dos jogos, quer pelo apoio da ZAP.
Abel , antigo avançado do Petro de Luanda e dos Palancas Negras

Estão a ser realizadas várias acções, tendentes a termos no presente ano um campeonato com mais qualidade, e que o nosso produto seja mais valorizado. Por isso, também apelamos à maior organização e colaboração por parte dos clubes e que os amantes da modalidade contribuam para a estabilidade e desenvolvimento.
Nando Jordão , presidente do Conselho Técnico da FAF

Estou a competir não apenas no sentido de conseguir medalhas, mas em somar presenças em quase todos os Open. Isso, vai também ajudar-me a somar os pontos exigidos pela FIJ, que podem atribuir-me o passe para o Brasil, nos Olímpicos do Rio.
Antónia de Fátima "Faia" , judoca angolana

Eu não sou uma pessoa que precisa de mudar de equipa de um ano para outro. Isso, não é algo que eu faça em outra área da vida. No momento, sinto-me muito confortável (na Ferrari) e temos um grande objectivo comum a atingir.
Sebastian Vettel , piloto da Ferrari


A PERGUNTA DO DIA
O facto de realizar a maior parte dos jogos em casa, na primeira volta, é positivo para a situação financeira que o ASA vive?

O Atlético Sport Aviação ao ver o sorteio do Girabola a beneficiar-lhe na primeira volta da presente época, com cinco jogos fora de casa e os restantes dez no seu reduto, acredito que consegue de facto manter um equilíbrio financeiro positivo, para gerir melhor os seus recursos. Francisco Borges , gestor de vendas

A direcção do ASA pode de facto tirar proveito desta situação, já que vai ter menos gastos em termos de deslocações por ser das poucas equipas da capital, que realizará o maior número de jogos em casa. Agora, é preciso que os seus gestores aproveitem esta situação, tendo em conta a crise financeira que vivemos. Simão César , funcionário público

O ASA tem os seus patrocinadores, apesar das dificuldades procuram em todas as épocas cumprir com as suas responsabilidades financeiras. Portanto, esta situação de um grande número de jogos em casa pode funcionar como um reforço financeiro para as suas finanças, quer com as receitas dos jogos, quer pelo apoio da ZAP. João Madureira , relações públicas

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »