Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas dos leitores

01 de Abril, 2016
É um acto condenável. Estou muito entristecido com a situação. Não sei as razões que estiveram na base desse infausto acontecimento, mas a vida humana sempre deve ser tido em primeiro lugar. Quero desde já apresentar as minhas sentidas condolências à família do malogrado Zezão.
Luís Mariano , treinador do Porcelana do Cuanza Norte

No nosso campeonato os jogos são disputados na sua maioria aos sábados e domingos, os nossos atletas ficam cerca de cinco ou seis dias sem jogar e isso prejudica de certa forma o rendimento dos mesmos, sobretudo, quando se encontram com selecções ou equipas que têm jogadores que militam em campeonatos mais competitivos.
Eugénio Muacassange , presidente da APF da Lunda Sul

Os adeptos fizeram a sua parte, mas a equipa não conseguiu satisfazer os anseios dos angolanos, contudo não nos devemos desmoralizar porque o desporto é assim, nem sempre conseguimos os resultados que almejamos.
Albino da Conceição, secretário de Estado para o Desporto

Estou animado por pensar em mais corridas como a de Melbourne. Teremos provas em que vamos estar alguns segundos na frente, outras em que a disputa vai ser acirrada e outras em que eles podem estar na frente. Ainda não sabemos, e isso é animador. O Bahrein foi divertido nas últimas duas temporadas, mais provas assim seria óptimo.
Lewis Hamilton , piloto da Mercedes


A PERGUNTA DO DIA
As medidas de segurança aplicadas pela Polícia Nacional no Angola - RDC corresponderam à grandeza do jogo?

As medidas aplicadas pelos efectivos da ordem e segurança afectos ao Ministério do Interior, num total acima de 1000 (mil), naquele jogo para as qualificativas da maior festa do futebol continental chama atenção aos demais países a seguirem o excelente modelo. Maurício Alfredo, estudante

O serviço prestado pela Polícia Nacional durante o jogo Angola - RDC até ao fim do mesmo, proporcionou a todos os presentes no local, uma convivência positiva dentro dos padrões exigidos do fair play. Fabrice Maqueno , comerciante

Angola mais uma vez mostrou à África e ao mundo o seu bom nome em matéria de segurança interna, justificando também o bom convívio do futebol internacional. Uma nota que merece destaque ao Ministério do Interior e a Federação Angola de Futebol (FAF). Paty Nkundenga, comerciante

Últimas Opinies

  • 22 de Julho, 2019

    Akw lesou a Ptria por representar o Pas?

    Com a vossa permissão, amigos leitores, deixam-me exteriorizar , o que sempre defendi do ex-craque da nossa terra chamado Akwá, menino de Benguela

    Ler mais »

  • 22 de Julho, 2019

    Com o balo vazio no se busca patrocnio

    Certa directora de marketing, com muita experiência nesta área e que trabalha no mercado nacional há mais de 10 anos, confidenciou-me, dias atrás.

    Ler mais »

  • 22 de Julho, 2019

    Segunda derrota nacional

    O PAÍS  futebolístico continua a curar as mágoas de ter visto partir o então seleccionador nacional dos Palancas Negras, Hervé Renard.

    Ler mais »

  • 20 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    “Nunca cheguei a reunir com este senhor (Akwá) para tratar este assunto. Apenas nas veste de Deputado e com o seu guarda-costa, apareceu no meu gabinete.

    Ler mais »

  • 20 de Julho, 2019

    Acesso ao Qatar

    Apesar da qualificação inédita numa fase final de um Mundial de Futebol, algo que ocorreu curiosamente em 2006, edição organizada pela Alemanha, a Selecção Nacional.

    Ler mais »

Ver todas »