Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas dos leitores

19 de Agosto, 2016
Esperamos um jogo competitivo, como são todos, contra um adversário forte como são vários. Mas esperamos que prevaleça apenas o futebol. Sobretudo que os golos sejam marcados com os pés ou cabeça.
Rui Campos, presidente do Recreativo do Libolo.

Os aspectos administrativos estão todos acautelados e a comitiva segue viagem para o Cairo, Egipto, passando por Adis Abeba, Etiópia, na próxima quarta-feira, isto é, no dia 24 do mês em curso.
Tony Sofrimento, secretário-geral da Federação Angolana de Futebol.

Sempre acreditei no sucesso do Bastos, é disciplinado, conseguiu se firmar na selecção nacional, onde chegou a ser capitão”, por isso é natural a sua progressão.
Miroslav Maksimovic, treinador de formação do Petro de Luanda.

O importante tem sido a melhoria de jogo para jogo, e a interpretação cada vez melhor do cumprimento das recomendações tácticas. Temos estado a melhorar bastante e a ganhar a confiança para a materialização do nosso objectivo: a melhoria do quinto lugar.
Elisa Pires, seleccionadora nacional de sub-18 de basquetebol feminino

A PERGUNTA DO DIA
Que medida devia tomar a FAF contra equipas que desistem do Girabola a meio da prova?

Penso que a FAF por mais que quisesse não teria argumentos para punir estas equipas. São formações que alegam falta de financiamentos e isso é uma situação patente no país. A FAF deve limitar-se a aceitar estas interrupções porque também tem culpa no cartório. De contrário, terá que apoia-las financeiramente. Domingos Nguigi, técnico de segurança.

Estas situações só acontecem porque a FAF não tem inspeccionado as equipas que entram para o Girabola. É necessário saber-se de antemão quais são os fundos dessas equipas, se terão ou não condições de se manter na prova até ao final. Se a equipa não apresentar estes requisitos não deve ser admitida. Gonçalves Baptista, funcionário privado .

A FAF deve se rever quanto a esta situação porque estraga a competição. Uma equipa que concorre no Girabola e desiste ao meio acarreta outros problemas para as formações que com ela jogaram. Toda a formação que deseja entrar no "Gira" deve apresentar o seu plano financeiro. Se não convencer não deve ser admitida para se evitar futuros desarranjos. Bleiser de Sousa, estudante.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »