Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartas dos leitores

15 de Setembro, 2016
Já passámos por situações, que tivemos de pagar as contas inerentes às competições, e sempre o fizemos. Desta vez, sentimo-nos impossibilitados de fazer o pagamento. A ginástica também não recebeu nada, e não tinha como liquidar a dívida senão encaminhá-la ao Ministério, como órgão de tutela do desporto.
AUXÍLIO JACOB , presidente da Federação Angolana de Ginástica.

Temos o pessoal todo mobilizado. Estamos prontos para mais um desafio. É necessário que os apoios cheguem a tempo, porque realizar uma prova como esta requer alguns meios técnicos, e não só. Caso tenhamos tudo com a devida antecedência, a prova vai ter lugar no Kilamba. Se não for possível, vai acontecer no Jorge Varela.
CARLOS SOWETO , presidente da Associação Provincial de Motocross.

Em Inglaterra não se descansam jogadores. Se o fizermos, a pensar na Europa, então vamos acabar por perder os jogos na liga. Em Portugal, Espanha e Itália já tive ocasiões em que optei por dar descanso à toda a equipa. No FC Porto, no jogo que antecedeu à 2ª mão das 'meias' da Liga dos Campeões.
JOSÉ MOURINHO , treinador do Manchester United.

O tribunal descobriu que não procurei tratamento médico, de modo a melhorar o rendimento desportivo. A ITF despendeu imenso tempo e dinheiro a tentar provar que eu violei intencionalmente os regulamentos anti-doping, e o tribunal concluiu que não. Precisamos de saber se o ITF pediu uma suspensão de quatro ano, e o tribunal rejeitou.
MARIA SHARAPOVA , tenista russa.

A PERGUNTA DO DIA
O basquetebol angolano pode tirar proveito da ida de Carlos Morais para o Benfica de Lisboa?

O Carlos Morais já nos deu mostras que vale muito, e tem potencial para estar na elite da modalidade. A integração na formação do Benfica de Lisboa é mais-valia para o país. Esteve a tentar a sorte nos Estados Unidos, não conseguiu e agora em Portugal, vai aproveitar da melhor maneira e prestigiar-nos. Songue Xavier, relações públicas.

Já era sem tempo para Carlos Morais conseguir vaga numa equipa de referência. É um jogador que vale ouro e tem direito a internacionalizar-se. O basquetebol angolano vai na certa ganhar com isso, porque é um atleta nosso, que vai representar-nos nas competições internacionais. Inácio Severino , funcionário privado.

Claro que vamos tirar proveito dessa ida, para o clube de Lisboa. As coisas lá, estão mais avançadas e o atleta tem a oportunidade de avançar no que toca a experiência e competitividade, de formas a contribuir para o país nas provas além fronteiras. Que consiga universalizar-se. Francisco da Cruz , estudante.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »