Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Clssico de luxo

11 de Junho, 2014
A maioria dos jogos da jornada catorze do Girabola, a penúltima da primeira volta, disputa-se hoje com o aliciante Petro-Kabuscorp no centro das atenções. Um jogo que está a despertar a maior expectativa em função daquilo que representam as duas equipas no contexto futebolístico nacional.

Depois das férias forçadas, fruto de mais um (dos muitos) desleixo da Federação Angolana de Futebol (regresso tardio dos Palancas Negras), as emoções do futebol estão de regresso e o estádio 11 de Novembro é o palco decisivo, onde Petro e Kabuscorp esgrimem argumentos para mostrarem ao país desportivo quem é melhor e qual das equipas merece o estatuto de candidata ao título. Estão reunidas as condições para que tenhamos noventa minutos de jogo fantástico.

O futebol é encantador porque continua a ser um jogo de 11 contra 11. É nesta magia que reside a beleza que move montanhas e deixa apaixonado milhões de torcedores. Tudo o que está fora do rectângulo do jogo, adulteração da verdade desportiva, corrupção na arbitragem e viciação das regras do jogo como forma de controlar o sistema, colocando-o ao seu serviço, não interessa.

Quem ama o futebol e o seu clube só pode pugnar pela verdade desportiva. É isso que os adeptos das duas equipas, que logo vão estar em peso no 11 de Novembro, esperam ver durante a partida. Que cada um faça a sua parte. Os árbitros e os homens do espectáculo, no caso os jogadores.
As discussões sobre quem é melhor, quem possui o melhor futebol, os melhores jogadores e inclusive até a discussão sobre os treinadores de ambas as equipas, a qual ultrapassa as quatro linhas e ganha dimensões extra-futebol, existem desde o início mas para os adeptos apenas interessa o futebol.
O jogo entre petrolíferos e palanquinos vai colocar frente a frente dois candidatos ao título. Contudo, neste momento, só a equipa do Palanca detém esse estatuto, face ao lugar que ocupa na tabela classificativa e à diferença pontual que os separa (29-16). Mas dérbi é sempre dérbi e o de hoje não foge à regra, visto tratar-se de um verdadeiro teste para as duas equipas.

Mas há outros jogos igualmente capazes de prender a respiração e que vão ditar se as férias foram ou não benéficas. O líder, Recreativo do Libolo, desloca-se ao Uíge para medir forças com o União Sport, o último classificado da prova. Vinte e oito pontos separam as duas equipas. Por aqui é fácil ver quem é favorito á conquista dos três pontos. Mas, na prática, nem sempre o mais forte vence.

O 1º de Agosto, em franca recuperação, desloca-se ao Lubango para defrontar o Benfica local. À primeira vista os militares são favoritos. Contudo, os encarnados tudo vão fazer para surpreender o seu adversário. As emoções estão de regresso para satisfação dos adeptos, que voltam assim a ter a oportunidade de ver em acção as suas vedetas.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »