Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Tudo na mesma

15 de Abril, 2014
O Girabola está ao rubro. Electrizante mesmo, principalmente entre os três primeiros classificados. Os dois pontos de diferença que separam o segundo e terceiro (Recreativo do Libolo e Benfica de Luanda, 17) do primeiro (Kabuscorp, 19) dizem que temos campeonato até ao fim. A jornada do fim-de-semana não provocou mudanças no topo da classificação, onde as posições estão praticamente definidas. Com maior ou menor dificuldade, o trio da frente venceu os jogos, com o Libolo e o Benfica a ganharem fora de casa a adversários tradicionalmente difíceis.

As duas equipas confirmaram não apenas o excelente momento que atravessam, como deixaram um aviso ao campeão: estão para durar e vão fazer tudo para o caminho para o título não ser feito somente por uma equipa, como, infelizmente, aconteceu na temporada passada, na qual o Palanca após se apoderar da liderança não deu hipóteses a ninguém. Dominou a bel-prazer.

Há hipóteses do Kabuscorp ser desalojado da liderança já na próxima jornada. A equipa de Bento Kangamba desloca-se no sábado a Calulo, reduto do Recreativo do Libolo, que é somente o segundo na tabela classificativa. Soma 17 pontos contra os 19 dos palanquinos. No sábado, todos os caminhos vão dar a Calulo.

Todos pretendem saber como é que o Kabuscorp se vai comportar diante de um adversário que lhe morde os calcanhares. Ultimamente, os jogos entre o Recreativo do Libolo e o conjunto do Palanca têm sido bastante renhidos dentro e fora das quatro linhas. O de sábado não deve fugir à regra.

Com os ouvidos atentos ao que se vai passar no “Inferno de Calulo” há-de estar o Benfica de Luanda, que um dia antes recebe o Recreativo da Caála. Os encarnados estão bem acomodados à espera do desfecho final do jogo de Calulo. Se vencerem a equipa do planalto central, esta disposição ainda é maior.

Embora faltem muitas jornadas para o fim da prova, há um aspecto a considerar: o abismo pontual entre as demais equipas e os três primeiros. A diferença do quarto (Interclube, 13) para o segundo e terceiro (17) é de quatro pontos e para o primeiro (19), de seis.

O quinto e o sexto (Maquis e Progresso) somam apenas 11 pontos, ambos a oito do Kabuscorp e a seis do Libolo e do Benfica de Luanda. Ainda é cedo para uma avaliação mais profunda, mas a diferença pontual que as separa do trio da frente é acentuada. Que dizer da prestação dos eternos candidatos ao título, 1º de Agosto e Petro de Luanda? Numa só palavra, péssima. Estão a 12 (!) pontos do líder. Este ano, o título já era. É a pura realidade. Deviam começar a projectar a próxima temporada.

Últimas Opinies

  • 24 de Agosto, 2019

    O amiguismo na resciso

    O assunto de momento no nosso futebol, convenhamos, é sem dúvidas o desenlace entre a Federação Angolana de Futebol (FAF) e o técnico Srdjan Vasiljevic, em face de algumas situações que vinham acontecendo e que originou que se estalasse o verniz.

    Ler mais »

  • 24 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Os jogadores aguardaram isso dos dirigentes, para que a motivação crescesse

    Ler mais »

  • 24 de Agosto, 2019

    O sonho dos grupos

    Após as vitórias extramuros nas deslocações à Tanzânia e ao Lesotho, o 1º de Agosto e Petro têm, neste fim-de-semana, a oportunidade soberana de confirmarem a qualificação para última eliminatória de acesso a fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Viemos a público para responder ou esclarecer o que aconteceu.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

Ver todas »