Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

14 jornada prossegue esta tarde

Betumeleano Ferro - 28 de Maio, 2016

Polcias mantm a prontido para evitar surpresa na recepo formao do Cuando Cubango

Fotografia: Mota Ambrsio

O Interclube e o 4 de Abril foram os grandes protagonistas da jornada transacta do Girabola ZAP. Esta tarde, às 16H00, no 22 de Junho, as duas equipas medem forças para a décima quarta ronda.

Os polícias entram em campo como favoritos, mas têm de se precaver para não serem surpreendidos diante de oponente com fortes apetências de complicar a vida dos grandes.As duas equipas entram pressionados em função daquilo que fizeram na jornada passada, mas todos os olhos vão estar postos na formação do Rocha Pinto, candidato ao título e a efectuar uma recuperação impressionante.

O Interclube, depois da jogatana frente ao 1º de Agosto, é normal que as pessoas cobrem muito mais dos polícias. Quem empata com o líder, depois de estar a perder por 3-0, tem a obrigação de vencer um adversário com menos gabarito, até para calar os que acham que o que aconteceu no dérbi foi obra do acaso.

A eficiência atacante é uma imagem de marca do Interclube, os poucos golos que a equipa marcou nas jornadas disputadas, 14 no total, valeram até ao momento 22 pontos. Isto significa que o 4 de Abril vai ao 22 de Junho preocupado em impedir que os polícias voltem a provar que para pontuar nem sempre é necessário mostrar veia goleadora.

Os polícias estão motivados com o que fizeram na jornada passada, mas nada indica que vão entrar com uma postura sobranceira, porque o 4 de Abril também foi sensação na ronda passada com a estrondosa vitória caseira sobre o Kabuscorp. As deslocações a Luanda têm demonstrado que os comandados de João Machado estão talhados para defrontar os chamados candidatos ao título. A equipa do Cuando Cubango está a cumprir a primeira época no Girabola, mas o facto de ser orientada por técnico experiente, decano dos treinadores angolanos que termina a carreira este ano, tem feito toda a diferença.

O 4 de Abril é uma equipa modesta, motivo por que gosta de jogar com atitude de espera porque nunca se esquece das suas limitações. Por isso, vai apostar no contra-golpe, mas as suas chances de pontuar também vão depender muito do seu rigor defensivo para travar o eficiente ataque do Interclube, meio caminho andado para pontuar no 22 de Junho.A motivação mora nos dois balneários, as duas equipas têm todos os ingredientes para proporcionar um bom espectáculo no 22 de Junho. O cacimbo demora a mostrar o seu rigor, mas há motivos para acreditar que os atletas em campo vão aquecer o rectângulo porque querem que a sua equipa alcance o melhor resultado possível.


EXPECTATIVA
Kabuscorp e Sagrada
tentam reabilitação


O Kabuscorp do Palanca e o Sagrada têm esta tarde tarefas difíceis diante do Académica do Lobito e do Progresso Sambizanga. O factor casa aumenta o peso da responsabilidade para palanquinos e diamantíferos, mas ao mesmo tempo é o aliado ideal para as duas equipas tentarem redimir-se dos desaires da jornada passada.

O candidato Kabuscorp está sob obrigação de dar uma lição aos estudantes, a partir das 15h30 nos Coqueiros. A inesperada derrota extramuros ante o 4 de Abril uma jornada depois do triunfo de 2-0 sobre o 1º de Agosto, colocou em xeque a equipa orientada por Bodunha. Ou reagem de imediato esta tarde ou uma nuvem negra pode começar a assombrar a equipa.

A mudança de treinador fez bem aos estudantes com o regresso do lendário Chiby, devolvendo a confiança competitiva a equipa lobitanga. Os bons resultados num ápice se tornaram rotina, há por isso motivos para acreditar que os estudantes vêm a Luanda para se manter na senda dos pontos.

Nem o Kabuscorp está a espera de ver o Académica a assumir as despesas do jogo, mas não estão a espera de um jogo de sentido único. Os palanquinos sabem que têm de ser equilibrados senão podem ser curtos demais para travar o contragolpe dos estudantes.

A eliminação das afrotaças ainda faz mossa ao Sagrada Esperança.

Esta tarde no Dundo, às 15h00, os diamantíferos tentam cicatrizar as feridas com uma vitória quando recepcionaram o intermitente Progresso Sambizanga.

Os diamantíferos têm de reagir agora que voltaram a ficar focados no campeonato. A competição africana agora faz parte do passado, pelo que o técnico Zoran Maki tem de atiçar a atitude competitiva do seu plantel para que os bons resultados voltem a se tornar realidade.

Os sambilas vão ao Dundo dispostos a redimirem-se da derrota contra o Petro. O plantel de Albano César é equivalente ao do Sagrada, mas agora resta esperar, para ver se o Progresso é capaz de ser competitivo ou se vai deixar-se seduzir pelo brilho dos diamantíferos.

Curiosamente, o Sagrada e o Progresso perderam na jornada passada por 2-0. A revolta mora nos dois balneários, mas nada melhor do que esperar pelos 90 minutos para ver quem vai controlar melhor a ansiedade para ficar com a totalidade dos pontos.


QUADRO CLÍNICO
Plantel respira
boa saúde


O médico do Kabuscorp, Caetano Maria, garantiu ontem,  que a sua equipa respira boa saúde para enfrentar a Académica do Lobito esta tarde.De acordo com o responsável clínico dos palanquinos, os atletas que estavam lesionados, assim como aqueles que padeciam de outras patologias, estão recuperados e entregues a equipa técnica."Tivemos alguns problemas de saúde, mas foram todos superados. Penso que tudo correu a contento e os atletas estão já a conta com a equipa técnica e cabe a eles darem o tratamento que acharem conveniente", realçou.

A falta de golos, uma das maiores preocupações de Bondunha e seus colaboradores, obrigou o corpo médico a dedicar uma atenção especial na recuperação do atacante Mussumari.

"A sua utilização depende dos técnicos, aliás nesta altura  estamos livres de quaisquer problemas de saúde, o que nos permite partir para este jogo aliviado desta vertente", garantiu.


CONFISSÃO
“Estamos centrados numa vitória”


Ultrapassado o desaire da ronda passada, o técnico do Kabuscorp do Palanca afirmou ontem ao Jornal dos Desportos, que a sua equipa já esqueceu a derrota diante do 4 de Abril e espera regressar as vitórias esta tarde.Manuel Agostinho (Bodunha), revelou que cada jogo é um jogo, e na formação que dirige as atenções estão centradas sempre para o adversário seguinte e não aquele que já passou.

"Todos os jogos que realizamos esquecemos dele no final e logo começamos a pensar no próximo adversário. Esta é a nossa filosofia e não vamos inverter. Neste momento, as nossas atenções estão centradas na recepção a Académica do Lobito", salientou.

Sem tirar mérito ao adversário da ronda passada, recordou que "a derrota aconteceu em circunstância de muitas adversidades, com realce para o piso, onde não usamos  material adequado para o efeito e os atletas escorregavam constantemente", relembrou.

Para o jogo desta tarde disse que estão melhor preparados e prevenidos de forma a não voltarem a ser surpreendidos, pois, reconhece o valor do seu opositor desta tarde e destacou a progressão que está a efectuar.

"Sabemos que a Académica do lobito tem dado boa conta de si desde a entrada do professor António Lopes (Chiby). É uma equipa em franca progressão, a procura de pontos para sair da zona aflitiva, mas nós temos os nossos objectivos e vamos lutar freneticamente em busca de um resultado positivo ", prometeu.

O líder da equipa técnica palanquina, adiantou que "no decurso da semana procuramos trabalhar muito sobre os erros que cometemos frente ao 4 de Abril, sem descurar as variantes tácticas - técnicas e notamos que os nossos atletas interpretaram bem as nossas orientações", avaliou. Sublinhou que em função da assimilação dos atletas, a vitória é o resultado que está mais próximo. " Esperamos mete-la em evidência durante o jogo frente a Académica do Lobito", destacou.

O técnico comentou que a sua equipa está a realizar um campeonato tranquilo, sem qualquer tipo de pressão e pretende levar a bom porto os seus intentos esta época.

" Não podemos ver as derrotas nesta fase como o fim do campeonato. Repare que, as equipas do topo estão separados apenas por escassos pontos e como ainda temos muitos jogos pela frente, leva-me a concluir que nada ainda está decidido", avançou.
 Manuel Neto