Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

1 de Agosto considera situao preocupante

Jorge Neto - 29 de Junho, 2018

Campees nacionais auguram uma nova era a partir de amanh

Fotografia: Vigas da Purificao | Edies Novembro

Os cinco empates consecutivos do 1º de Agosto no Girabola Zap estão a criar um ambiente de desconforto no plantel e a preocupar a equipa técnica, reconheceu o técnico-adjunto da formação militar, Ivo Traça.
O treinador admitiu ontem, ao Jornal dos Desportos, que o mau momento pode influenciar no comportamento dos atletas, ainda assim, acredita que o cenário vai mudar no jogo diante do Kabuscorp do Palanca, amanhã às 17h00, no estádio 11 de Novembro, referente à 20ª jornada. 
As sucessivas perdas de pontos, dez no total, fez com que os militares perdessem à liderança da competição, apesar de somarem o mesmo número de pontos que o arqui-rival, Petro de Luanda. Ivo Traça deu a mão à palmatória, mas está confiante na reviravolta.
\"Não estamos bem, é verdade, por isso não podemos fugir da realidade. Não é normal uma equipa como a nossa, ficar cinco jogos sem ganhar. Podíamos até ter perdido uma partida, empatar outra, mas vencer as três\", comentou, inconformado com o percurso dos campeões.
\"Perdemos a liderança, mas temos o mesmo número de pontos que o primeiro classificado. Se me perguntar se é preocupante, é, por que gostaríamos de ser sempre líderes. O nosso objectivo passa por sermos o primeiro classificado e não sairmos desta posição\", destacou.
Disse mais adiante que a situação é realmente preocupante e tudo têm de fazer para recuperarem a sua posição na tabela de classificação. \" Estávamos na liderança, mas saímos e começa a ser preocupante\", disse o auxiliar de Zoran Maki. 
O antigo defesa central da formação militar, considera normal a pressão que estão a sofrer dos adeptos, mas pede calma e que continuem a apoiar a equipa para regressarem às vitórias. \"Somos uma equipa que está habituada a este tipo de situações\", comentou.
Ivo Traça defende que \"no futebol acontecem sempre situações do género. Existem fases de crises de resultados como às que  estamos a atravessar. Peço aos nossos adeptos e a massa associativa, para terem um pouco mais de calma\", precisou.
Sublinhou ser esta a \"fase deles estarem juntos da equipa e prestarem  todo o carinho que precisamos, para podermos ter a força anímica e recuperarmos o lugar que perdemos\", sustentou.
O técnico-adjunto dos campeões nacionais acredita que, a partir deste sábado, os resultados vão mudar para o sentido positivo. \"Estamos a preparar o jogo com o Kabuscorp e no sábado vamos aparecer mais fortes, para podermos ganhar o jogo\", precisou.
Para o desafio de amanhã, os bicampeões nacionais apresentam-se desfalcados de quatro atletas habituais titulares, nomeadamente o guarda-redes Neblú, o lateral esquerdo Natael, os médios Macaia e Nelson da Luz, todos lesionados.

“Os jogadores acomodaram-se”

Ivo Traça admitiu que os jogadores do 1º de Agosto terão sentido algum conforto, quando lideravam o campeonato nacional e "dormiram a sombra da bananeira", ao ponto de estarem a viver a situação que atravessam neste momento.
"Acho que os jogadores sentiram-se cómodos na fase em que assumimos a liderança e esticamos um pouco a diferença em relação aos nossos perseguidores. Aos poucos começamos a sentir que não era nada disso e os resultados estão aí à vista de todos", avaliou.
Reconheceu que o plantel tem experiência para dar a volta por cima. "Com a experiência que os jogadores têm, estamos tranquilos. Conversámos e estamos dispostos a inverter este quadro e mostrarmos o que somos", analisou o antigo internacional angolano.
O auxiliar de Zoran Maki apontou igualmente a falta de concentração dos atletas no momento decisivo como uma das causas, mas garantiu serem situações que acontecem no futebol e vão ultrapassar.
"Às vezes falta a calma, quando os atletas estão no ataque, pois querem jogar com displicência, mas temos conversado com o grupo para invertermos o quadro", revelou o técnico, que acredita em dias de bonança.
"Nós que estamos nisso, reconhecemos que estas coisas podem acontecer, embora às outras pessoas dizem que não. Peço calma a estas pessoas, para estarem do nosso lado e ajudarem os nossos miúdos a executarem da melhor maneira os lances e satisfazerem a todos nós", salient