Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

1 de Agosto continua onda de empates

Jorge Neto - 27 de Junho, 2018

Os militares encontraram muitas dificuldade para ultrapassar os acadmicos

Fotografia: Santos Pedro | Edies Novembro

A crise de vitórias continua nas hostes do Rio Seco. Depois de uma primeira parte muito apática e por despertar apenas cambaleante no segundo tempo, o 1º de Agosto voltou a consentir um empate (0-0), diante da Académica do Lobito, sendo o quinto consecutivo, colocando em risco a liderança do campeonato.
Os agostinos entraram previsíveis no jogo, deixaram que os visitantes jogassem o seu futebol e criassem situações de perigo, como a protagonizada por Jiresse aos 6´. Só valeu, aqui neste lance, a pronta intervenção de Neblú, que regressou à baliza, após mais de seis jogos, rendendo Tony Cabaça.
Tal como se previa, o técnico Zoran Maki operou várias substituições no xadrez da sua equipa, deixando no banco Jacques e promoveu a estreia no onze inicial do jovem avançado Melono, formado no clube.
Mário também fez parte das opções no meio campo tal como o regresso do defesa central Bobó, depois de cumprir o castigo federativo de dois jogos.
Os militares encontraram muitas dificuldades para ultrapassar os académicos que foram a equipa com maior pendor ofensivo, parecia mesmo que jogava em casa, aproveitando a ausência nas bancadas dos exigentes adeptos rubro e negros.
O técnico da Académica, Rui Garcia, montou uma estratégia táctica que resultou no primeiro tempo, com uma defesa com pressão e uma transição rápida para chegar o mais breve possível à baliza dos bicampeões nacionais. Todavia, falhavam em alguns momentos pela pressa em fazer o último passe.
Antes do intervalo os agostinos tiveram uma contrariedade, a lesão de Neblú, que ressentiu de dores na perna direita, após um choque com Lelas aos 20 minutos.

SEGUNDA PARTE 
No reatamento Zoran Maki lançou Mongo com a intenção de dar maior dinâmica ao jogo ofensivo, mas, na prática, o tempo passava e as coisas não resultavam para os militares.
Mantinha-se a concentração defensiva dos académicos que vieram com a lição bem estudada e demonstraram os motivos por que são a única equipa que derrotou o 1º de Agosto até à presente jornada no campeonato.
A ansiedade aumentou nos jogadores rubro e negros, onde Buá, Geraldo e Gogoró não apareciam no jogo, aliás, foram bem marcados pelos seus adversários que não lhes deram espaço para criar jogadas de perigo .
Zoran Maki voltou a apostar no ataque e colocou em campo Jacques, o melhor marcador da equipa, e as coisas mudaram.
Melono teve a oportunidade para marcar aos 66´, mas isolado deixou-se cair na área, forçando o penálti ao invés de rematar para baliza de Ndulu. No lance seguinte foi a vez de Dani Massunguna, em posição privilegiada, rematar para defesa de Ndulu. Os militares pressionaram os académicos, mas não acertaram nos remates.
Aos 79´, Geraldo resolveu aparecer e rematou para uma defesa para pontapé de canto, quando os adeptos já se preparavam para gritar o tão desejado golo.
O 1º de Agosto continuava a pressionar, mas sem o êxito desejado. Na resposta, Vander podia ter marcado por duas vezes, mas não conseguiu, pois na primeira ocasião viu o poste a negar e na segunda foi a vez de Tony Cabaça a entrar em acção.

Zoran Maki 1º de Agosto

“Mais uma vez
faltou eficácia”


"A primeira parte foi má, a ansiedade tomou conta dos jogadores, que não conseguiram criar situações para marcar. Na segunda parte já fizemos algumas mexidas, conseguimos criar muitas s, mais uma vez faltou a eficácia. Falámos com os jogadores, mexemos na equipa, mas mesmo assim faltou eficácia. Ainda assim, achamos que houve uma grande penalidade que o árbitro não assinalou".

Rui Garcia Académica do Lobito

“Viemos com
o objectivo
de pontuar”


"O futebol e a metodologia de treino não passa só por treinar no campo. Nós temos de fazer um trabalho de bastidores, tendo como objectivo a formação do 1º de Agosto. Com base nisso, nós conseguimos identificar os pontos fortes e fracos da equipa do 1º de Agosto, jogar também com a questão psicológica do adversário, que tem quatro empates seguidos e nós viemos aqui com o objectivo de pontuar".