Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

1 de Agosto derrota Fc Maquis

Jorge Neto - 27 de Agosto, 2015

O favoritismo dos agostinos em campo comeou na realidade muito cedo atravs da forte atitude ofensiva

Fotografia: Paulo Mulaza

O 1º de Agosto não deixou escapar a oportunidade de ganhar mais três pontos e cumpriu a missão com êxito, superando a formação do FC Bravos do Maquis por 2-0, com golos de Gelson e Mateus Galiano ainda no primeiro tempo. O favoritismo dos agostinos começou a tornar-se realidade muito cedo, através da forte atitude com que os jogadores militares abordaram o jogo, daí a vitória algo confortável, mas que bem podia ser mais dilatada, caso os avançados concretizassem as volumosas oportunidades criadas. 

Os rubro e negros entraram a pressionar a todo o terreno do campo e conseguiam chegar com perigo à baliza defendida por Kizamba, com os principais intervenientes a serem Ary Papel e Gelson. Por sua vez, os maquisardes procuravam responder em contra-ataques e as vezes por jogadas ensaiadas, importunar Tony Cabaça, mas sem visar a baliza militar. Contudo, bastaram apenas 18´para Gelson adiantar, de cabeça, os militares no marcador, respondendo a um cruzamento de Isaac.

A formação da casa assumiu o favoritismo apostando numa avalanche ofensiva, com o adversário a encontrar sérias dificuldades para travar o bom entendimento entre os jogadores orientados por Dragan Jovic. Com isso, o segundo golo era apenas uma questão de tempo e após vários avisos, Mateus Galiano aos 42´, não se fez rogado e só teve de empurrar a bola para o fundo da baliza de Kizamba, a finalizar uma bela jogada que passou pelos pés de Ary Papel, Buá e Gelson que cruzou para o seu colega do ataque. Deste modo, estava feito o resultado com que os dois conjuntos se recolheram aos balneários.

No reatamento Alberto Cardeau mexeu no xadrez da sua equipa, lançou de uma só sentada dois jogadores, com o objectivo equilibrar o jogo e reduzir a desvantagem no marcador. Porém, as acções dos jogadores demonstraram alguma incerteza quando se apresentavam em missão ofensiva, perdendo as bolas sem consistência, com Bruno e Josimar a falharem em momentos decisivos.

O desafio atingiu um ritmo intenso de parte a parte, com os maquisardes a jogarem em ataque continuado e os militares a saírem rápido para o contra-ataque, mas com alguma displicência no momento do remate, como aconteceu com Gelson, isolado aos 64´, rematou a figura do guarda-redes.

Contudo, Gelson esteve muito interventivo no jogo, tendo se destacado por estar envolvido nos dois golos que a sua equipa marcou. Teve a colaboração de Ary Papel, mas este ficou uns furos abaixo das suas capacidades, apesar de tentar em várias ocasiões tentar surpreender os seus opositores.

O árbitro Mauro de oliveira cometeu alguns erros durante o desafio, mas de forma geral não teve influência no resultado final, deixando passar algumas faltas e a mostragem do cartão amarelo em algumas ocasiões.