Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

1 de Agosto implacvel despacha Desportivo da Hula

Jorge Neto - 16 de Julho, 2017

Campeo resolve no primeiro tempo

Fotografia: Jornal dos Desportos

Quatro minutos foram suficientes ainda no primeiro tempo para o 1º de Agosto desfeitear a até então bem estruturada defesa do Desportivo da Huíla, ontem, e marcar dois golos bastante importantes para fazer um jogo tranquilo e regressar às vitórias no Girabola Zap. Rambé e Geraldo, bisou, foram os protagonistas do jogo, onde os agostinos venceram, por 3-0 e reforçaram a liderança no campeonato.

No primeiro minuto do desafio Rambé respondeu com uma cabeçada ao cruzamento de Paizo, mas o guarda-redes Kissi negou-lhe o golo com uma palmada, desviando a bola para embater no travessão. Estava assim dado o aviso inicial dos pupilos de Dragan Jovic, que tinham a intenção de marcar cedo.

Os visitantes não aceitaram o domínio dos donos da casa e começaram a complicar as acções ofensivas do 1º de Agosto, que encontravam dificuldades para chegar a baliza de Kissi.

Além disso, não se limitavam a defender, subiam no terreno sempre que possível, criando jogadas de perigo como a protagonizada por Kêmbua aos 23´, com um remate cruzado, onde o guarda-redes Dominique teve de esticar-se todo para evitar o golo.

O desafio estava lançado e os huilanos acreditavam que podiam bater o pé ao "irmão mais velho", com um esquema táctico sólido que durou até aos 29´, altura em que Rambé, abriu o marcador, isolado com o guarda-redes não perdoou.

Mal refeitos do golo sofrido os pupilos de Mário Soares voltaram a ir buscar a bola no fundo da sua baliza aos 32´, desta por Geraldo, um "golaço", regressou aos golos após três jogos em branco, na sequência de um livre indirecto de uma falta cometida sobre si pelo guarda-redes Kissi.

Cabia ao Desportivo da Huíla arriscar um pouco mais, pois de nada servia conservar a desvantagem de dois golos. Contudo, os agostinos ainda não estavam satisfeitos e Geraldo bisou aos 40´, através de um gesto belo técnico, depois de passar pelo guarda-redes adversário com facilidade. O extremo apresentou-se numa tarde de grande inspiração. 

2ª PARTE
No reatamento, se por um lado, esperava-se por uma reacção dos huilanos, o contrário também era válido, ou seja, que os campeões nacionais dilatassem o resultado, pois tinha tudo a seu favor, o público e os três golos de vantagem. Foi com essa intenção que o técnico Mário Soares fez duas mexidas na sua equipa, lançando Malamba e Belito, jogadores com características ofensivas.

Ao 1º de Agosto restava gerir o jogo, mas sempre com os olhos postos na baliza do adversário. Foi assim, que Paizo isolou Rambé aos 52´, mas o avançado perdeu tempo, não chutou nem passou a bola para Geraldo e foi desarmado por um defesa. O cabo-verdiano nem quis acreditar a oportunidade desperdiçada.

Do lado oposto, o sinal de perigo aconteceu aos 75´, mas o remate de Muenho saiu ao lado da baliza de Dominique, que era um mero espectador atento ao jogo. Depois foi a vez de Belito rematar mas sem nenhum perigo. Porém, apesar de merecer um golo não foi capaz de concretizar o tento de honra até ao apito final do árbitro.


OPINIÃO DOS TÉCNICOS


Dragan Jovic  (1º de Agosto)
“Podíamos ter marcado mais”

 "Quando se resolve o jogo na primeira parte é mais fácil vencer. Foi uma boa primeira parte, as duas equipas se portaram bem, nós fomos felizes no primeiro golo. O segundo, talvez um lance infantil do guarda-redes e a equipa ganhou confiança, e o terceiro golo resolveu o jogo. No segundo tempo o Desportivo esforçou-se para fazer um golito, também merecia. Nós podíamos ter feito mais um ou dois golos, mas não fizemos e temos muito por corrigir".


Mário Soares (Desportivo da Huíla)
“A primeira parte foi muito negativa”

"Queríamos surpreender o 1º de Agosto, tendo em conta o momento que estava a atravessar, vinha de um mau resultado, mas ganhou este jogo, por tudo aquilo que é a sua estrutura mas nós queríamos surpreender. Tivemos uma primeira parte muito negativa, sofremos golos que não podíamos e a equipa tentou se refazer no segundo tempo, onde tentamos equilibrar o jogo, já que estávamos a perder muito o meio-campo.