Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

1 de Agosto pe mos obra

Jorge Neto - 10 de Outubro, 2017

1 de Agosto regressa aos treinos hoje de manh na relva natural do estdio Frana Ndalu

Fotografia: Jos Cola | Edies Novembro

Depois da folga registada ontem a equipa do 1º de Agosto regressa aos treinos, hoje às 8h30, na relva natural do estádio França Ndalu, na segunda sessão da semana, a pensar na deslocação ao encontro do Interclube, no sábado às 15h00, em desafio referente à 27ª jornada do Girabola Zap.
É o segundo jogo entre as duas equipas no mesmo recinto, num espaço de uma semana, após terem medido forças no sábado passado, pontuável para a primeira mão dos quartos-de-final da Taça de Angola. No dia 17 voltam a enfrentar-se no desafio de resposta da segunda maior competição futebolística do país.
A preparação vai basear-se nos aspectos técnico e tácticos, com incidência para a correcção dos erros cometidos no desafio anterior, concentração defensiva, construção de jogadas ofensivas e o acerto na finalização. Foi neste último aspecto em que o conjunto rubro e negro demonstrou menos acerto e que precisa melhorar.
Os militares estão conscientes do carácter diferente que tem este jogo do campeonato nacional, em relação a Taça, pois em caso de vitória ganham mais terreno na corrida para a revalidação do título conquistado o ano passado. Todas as atenções estão viradas para esta deslocação, após terem empatado, a um golo, no primeiro jogo da Taça.
Por este motivo, o técnico Dragan Jovic e pupilos encaram o desafio como uma \"autêntica final\", e apesar de reconhecerem que não existem dois jogos iguais, procuram inspiração na goleada infringida, por 1-6, no estádio 22 de Junho na segunda volta do campeonato  passado, na 28ª jornada.
O estado anímico do plantel está em alta, os jogadores estão imbuídos no mesmo espírito, e a disputa pela titularidade é uma prova de que todos querem jogar, contribuindo para que a equipa atinja os objectivos traçados no inicio do ano.
Os militares pensam \"jogo a jogo\", como referiu na semana passada o médio/lateral direito, Mingo Bile, daí que as baterias estão todas viradas para este desafio. 
Nesta ponta final da época o 1º de Agosto pretende apresentar um bom futebol, que dignifique as ambições do clube e que no final seja o vencedor do desafio. O técnico-adjunto Ivo Traça defendeu recentemente que quer ver a equipa a jogar como fê-lo na partida da segunda mão dos oitavos-de-final da Taça de Angola diante da Académica do Lobito.

LESIONADO
Rambé aguarda
pelo aval médico

O melhor marcador da equipa do 1º de Agosto, Rambé, aguarda que seja liberado pelo corpo médico para disputar o jogo do próximo sábado diante do Interclube, depois de uma longa ausência dos jogos oficiais, por lesão.
Depois de ter regressado aos treinos e estar muito perto de ser utilizado em jogos anteriores o avançado cabo-verdiano ressentiu de algumas dores na perna direita e foi afastado, por precaução, pela equipa médica liderada pelo Drº Abel Sanz. Para esta semana existe a expectativa se o goleador, 11 golos, já estará em condições de fazer parte das opções para o jogo diante dos polícias, estando ele a aguardar por um sinal positivo do departamento médico.
Rambé saiu lesionado, sem qualquer contacto físico contra um adversário, na primeira parte do clássico frente ao Petro de Luanda, na 24ª jornada. Em função disso, desfalcou os campeões nacionais e lideres do Girabola Zap nos cinco jogos seguintes, sendo dois para o campeonato e três para a Taça de Angola.
O jogador contratado este ano pelo 1º de Agosto marcou pela última vez no empate a um golo frente a formação do Santa Rita de Cássia, na 23ª jornada. O camisola 27 é o principal finalizador dos agostinos e espera regressar a equipa nos próximos jogos, onde naturalmente ambiciona contribuir com golos.Sagrar-se campeão pelo conjunto rubro e negro na sua época de estreia é o principal objectivo de Rambé, que está igualmente na disputa pela artilharia do campeonato, liderada por Tiago Azulão, avançado do Petro de Luanda, com 14 finalizações.
JN