Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

1º de Agosto proibido de perder

Jorge Neto - 29 de Outubro, 2016

Equipa rubro - negra só vislumbra um resultado vitorioso

Fotografia: José Soares

O técnico -adjunto do 1º de Agosto, Filipe Nzanza, considerou que a equipa vai jogar hoje às 15h30, no Estádio 11 de Novembro, a "penúltima final" do Girabola ZAP com o ASA, reconhece as dificuldades que podem ter pela frente em função da situação aflitiva dos aviadores na classificação, mas pensam em somar os três pontos.  

O auxiliar de Dragan Jovic não vislumbra outro resultado que não seja a conquista da vitória, de modos a aproximarem- se mais do principal objectivo.
"Penso que este será mais um jogo difícil do campeonato, para nós uma autêntica final, embora o ASA esteja numa situação difícil, mas vamos fazer tudo para ganhar e manter a distância dos nossos adversários", disse em conferência de imprensa, na passada quinta-feira, no ex-RI20.

O antigo médio militar aconselhou os adversários directos a conformarem-se com o título do 1º de Agosto, e começarem a preparar a próxima época.
"Faltam dois jogos que são autênticas finais, lideramos a competição desde o início e não é agora, que vamos perder o campeonato. Os outros podem esperar pelo próximo ano, porque este é para o 1º de Agosto", aconselhou convicto.

Em relação ao trabalho feito durante a semana, nada de anormal aconteceu, daí, que o grupo está em prontidão para a recepção aos aviadores, no dérbi mais antigo do campeonato nacional.

"A equipa está boa, treinámos bem durante a semana, e está preparada para fazer um bom jogo e ganhá-lo. Os jogadores estão motivados e pensamos em vencer este jogo, para ficarmos mais próximos do nosso objectivo", apontou.

Sobre as declarações do técnico do Petro de Luanda, Beto Bianchi, em pedir fair- play para que as outras equipas não favoreçam o 1º de Agosto, Filipe Nzanza comentou da seguinte forma: "a princípio, não tenho nada a comentar, ele (técnico do Petro) sabe o que deve falar. Ganhámos bem ao Interclube, por 6-1, também já tínhamos goleado a Académica do Lobito por 5-0, mas os outros não querem nos respeitar, mas nós vamos continuar a fazer o nosso trabalho", referiu e  acrescentou que "não queremos entrar em guerra de palavras com as outras equipas , já perdemos com a Caála, Progresso da Lunda- Sul, Kabuscorp, é normal, se os outros pensam que são o Barcelona, mas o Barcelona também perde", afirmou.

 Em relação à nomeação dos árbitros internacionais para os jogos mais importantes, o técnico -adjunto agostino minimizou a situação,  remeteu-a ao órgão da FAF que tem este responsabilidade.

"Penso que o erro é humano, podem ser internacionais ou não, devem apitar bem, a direcção do Conselho Central é quem deve escolher", finalizou.


MÉDIO
Ary Papel exige respeito


O médio ofensivo do 1º de Agosto, Ary Papel, comentou as afirmações do clube  Petro de Luanda, que desvaloriza o esforço que o conjunto militar faz para ganhar os  jogos, por considerar que têm a colaboração de adversários que se esforçam pouco.

"Acho que os adversários não estão a respeitar o 1º de Agosto, mas nós respondemos dentro do campo o nosso valor, e é aquilo que queremos. É importante pensarmos em nós, e fazermos o nosso trabalho",  disse confiante rumo ao título, na passada quinta-feira, em conferência de imprensa no ex-RI20. O camisola 30 agostino destacou o facto de conversar de forma constante com os jogadores mais experientes do plantel, que lhe têm aconselhado, em algumas situações.

"Os meus colegas pedem-me para ter mais concentração e é o que tenho feito, só tenho de preocupar-me com a equipa, e não com aqueles que dizem que sou individualista" destacou.

O médio ofensivo admitiu, que ambiciona atingir os 12 golos marcados no ano passado quando se sagrou o artilheiro da equipa, tal como revelou, "o meu objectivo é sempre fazer golo, ajudar a equipa a ganhar, mas quando não marco é normal, o importante é ganhar o jogo. Naturalmente, que quero igualar o meu número de golos do ano passado,em número de 12, mas também estou a pensar nos objectivos da equipa", admitiu.