Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

1º de Agosto reassume o comando

Jorge Neto - 17 de Abril, 2017

A formação do Rio Seco fez tudo para evitar todos os desejos ofensivos trazidos pela equipa sambila

Fotografia: José Soares | Edições Novembro

O 1º de Agosto deu ontem uma amostra do quão eficaz pode ser no ataque, com uma goleada sobre o Progresso do Sambizanga, por 4-0, com bis do avançado cabo-verdiano Rambé, num dérbi que esteve inclinado apenas para um lado, ante a passividade dos sambilas, que ainda falharam uma grande penalidade.

Os agostinos entraram praticamente a ganhar com um golo madrugador aos 11´, Rambé não perdoou um erro crasso de central Zau e diante do guarda-redes Nyame, rematou a contar. Contudo, sem tirar o pé do acelerador o segundo golo surgiu aos 14´, através de Buá, após um entendimento com Geraldo.

Parecia que o jogo já estava decidido, mas ainda eram decorridos apenas o primeiro quarto do desafio. Foi através de uma jogada aparente sem grande perigo que os sambilas importunaram pela primeira vez o Tony Cabaça aos 16´, num atraso de Dany Massunguna para o guarda-redes, que perdeu tempo e permitiu que Yano quase o roubasse a bola. Apercebendo-se do perigo os rubro-negros subiram no terreno e Geraldo esteve bem perto de marcar, tirou Nyame do caminho, mas o remate saiu ao lado. Nesta altura, o sinal “mais” pertencia aos militares.

Geraldo esteve muito interventivo, aproveitou o espaço dado pelo lateral esquerdo Jonathan, que recupera com alguma lentidão, permitindo que o extremo militar jogasse a seu bel-prazer, aparecendo várias vezes sozinho nas alas. Do lado dos sambilas Vá resolveu aparecer e causou sérias preocupações a defesa adversária, fruto disso, arrancou uma cartolina amarela a Paizo, num período em que os pupilos de Kito Ribeiro conseguiam ter mais posse de bola e atacavam com maior intensidade.

O árbitro José Alvaro não hesitou em apitar uma grande penalidade contra o 1º de Agosto aos 37´, Buá levantou os braços e impediu a trajectória da bola. Na cobrança, Yano rematou para uma defesa segura de Tony Cabaça, que voltou a ganhar no duelo com o capitão sambila. Antes do intervalo os campeões nacionais marcaram o terceiro golo aos 42´, numa jogada de génio de Geraldo, que fez sentar Nyame e escolheu o lado que fiz, após uma assistência de Rambé. Parecia que seria o dia em que os militares iriam mostrar a sua veia goleadora.

SEGUNDA PARTE

No reatamento, Kito Ribeiro não perdeu tempo e mexeu no seu ataque, refrescou com a entrada de Celso para o lugar de Sergé. Contudo, os militares não se intimidaram e dilataram o placar aos 48´, um bis de Rambé, assistido por Geraldo, que acabou por magoar-se sozinho no lance. Esperava-se mais dos sambilas que não encontravam soluções para incomodar Tony Cabaça, quando antes do jogo o favoritismo era repartido pelas duas equipas, apesar de os agostinos perderem este dérbi pela última vez em 2014.

MELHOR EM CAMPO
Geraldo influenciou


No regresso a titularidade após o extremo do 1º de Agosto constituiu uma grande dor de cabeça para os defesas adversários, principalmente para o lateral esquerdo Jonathan, muito perdulário nas marcações. Geraldo mostrou mais uma vez a sua influência na equipa militar, marcou um golo e fez duas assistências, a Buá e a Rambé.

Discutiu o posto de melhor jogador em campo com o seu colega Rambé, que bisou no desafio, mas de facto pertenceu a Geraldo o maior destaque por aparecer em quase todas as aéreas do meio-campo e ataque. Acabou por sair lesionado aos 52´, por sentir algumas dores na perna esquerda.

ARBITRAGEM
Bom trabalho


O jovem árbitro José Alvaro mostrou estar a altura da responsabilidade de dirigir o dérbi e não comprometeu na aposta feita pelo Conselho Central de Árbitros da FAF. O juiz esteve sempre perto das jogadas e nunca receou em apitar quer situações de fora-de-jogo ou mesmo de penalte. O árbitro acertou na grande penalidade que assinalou contra o 1º de Agosto, pois Buá levantou os braços ao fazer um movimento, no qual impediu a trajectória da bola. Os jogadores também sentiram a firmeza de José Alvaro que realizou um trabalho regular e sem casos polémicos.

OPINIÃO DOS TÉCNICOS
“A liderança é o nosso lugar”


“Foi um bom jogo. As duas equipas bateram-se bem, apesar do resultado expressivo, entramos bem no jogo e felizmente as coisas nos saíram bem. Felicito a equipa do Progresso, mas hoje estivemos melhor, marcamos três golos na primeira parte e resolvemos o jogo, no segundo
tempo foi apenas para gerir o resultado. A liderança é o nosso lugar,nunca mentimos sobre isso, porque o 1º de Agosto está a jogar para ganhar o campeonato.

“Nós não estivemos bem”

\"O 1º de Agosto esteve muito bem no jogo. Tivemos muitos problemas, nos quais não conseguimos nos organizar defensivamente nem ofensivamente e acabamos por perder o jogo. Foi uma semana muito dura, e acredito que já passou. Hoje (ontem) o 1º de Agosto jogou ao seu mais alto nível e não estivemos bem. Vamos continuar a trabalhar para melhorar os erros cometidos neste jogo, que já sabíamos de antemão que seria muito difícil\".