Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

1º de Agosto sem pena do ASA

Jorge Neto - 15 de Maio, 2017

Campeões nacionais justificaram o estatuto de favorito no dérbi mais antigo do campeonato nacional ao derrotar os aviadores por 2-0

Fotografia: Jornal dos Desportos

Apesar do início avassalador dos agostinos, que procuraram marcar o mais cedo possível, levando sempre o perigo a baliza adversária, os aviadores não se amedrontaram e conseguiram impedir o último toque dos militares. Deste modo, se cumpria a previsão feita por Ivo Traça, que antevia um jogo bastante difícil, mesmo com o mau momento que o opositor atravessa no campeonato.

Foram precisos 32´para os campeões nacionais chegarem ao primeiro golo, através de Nelson, aproveitando uma falha de marcação dos centrais. O cabeçada foi certeira, não dando hipóteses ao guarda-redes Maguete.

Após o golo, o dérbi ganhou mais velocidade, as duas equipas lançaram-se ao ataque, com os militares em busca de ampliar o marcador, enquanto os aviadores ambicionavam o empate. Esta toada criou uma grande expectativa no pouco público que se deslocou ao Estádio 11 de Novembro, para assistir ao jogo.

O dérbi de facto cumpriu com aquilo que se esperava dele, o avançado do 1º de Agosto, Rambé, mostrava algum inconformismo, rondava o golo, mas a bola não levava a direcção desejada. Por seu lado, o ASA deu a réplica que se esperava e atacou sempre que pode e quando atacou deu sinais de perigo a baliza de Julião.

A formação do aeroporto não pode contar neste jogo, no banco de suplentes, com o seu novo técnico, Paulo Saraiva, por questões administrativas, e foi orientado por Capoco.

No reatamento, os militares voltaram a estar por cima do adversário, quando provavelmente se esperava uma atitude de espera pelo adversário para explorar o contra-ataque, mas pelo contrário, assumiu as redes do desafio.

Os rubro-negros sabiam que tinham de ganhar para recuperar a liderança no campeonato e jogam com este objectivo, mas tendo pela frente um adversário bem esclarecido e à espreita de uma distracção dos militares. Nesta altura, faltava mais celeridade ao meio campo do 1º de Agosto na construção das jogadas ofensivas, contudo pareceu ser pura ilusão, pois dilataram o marcador aos 64´, por Vado, a finalizar um cruzamento de Nelson.

Em desvantagem no marcador por duas bolas só restava aos aviadores arriscarem mais e foi o que fizeram, refrescando o seu meio-campo e ataque, Love Cabungula deu lugar a Mabululu e saiu aplaudido pelos adeptos do 1º de Agosto. Contudo, o resultado manteve-se e a vitória dos agostinos foi consumada tal como se previa.

ARBITRAGEM
Trabalho regular


O árbitro Nuno Eduardo esteve a altura do dérbi e não teve influência no resultado final. Praticamente a sua presença se notou no último minuto do jogo, quando anulou o golo de Macaia, por apoiar-se a um adversário, na primeira vez que tocou na bola depois de entrar já no período de compensação.

O homem do apito da província de Luanda acompanhou as jogadas de perto e teve sempre o controlo do jogo. Em face do fair play demonstrado pelos jogadores o árbitro mostrou poucos cartões amarelos.


MELHOR EM CAMPO
Nelson decide


O jovem Nelson esteve em destaque na vitória do 1º de Agosto sobre o ASA ao marcar o primeiro golo e assistir para o segundo apontado por Vado. Deste modo, o extremo militar foi decisivo na conquista dos três pontos dos campeões nacionais, que ambicionavam este resultado para reassumir a liderança do campeonato, em posse do arqui-rival. Nelson vem se destacando na formação agostina e conta já com três golos no Girabola Zap.


MEMÓRIA
Rubro-negros
adiam desforra


Não foi ainda desta, conforme esperavam muitos adeptos, atletas e dirigentes seus, que o 1º de Agosto desforrou-se naquela histórica e pesada goleada sofrida  frente ao ASA, em 2004, no Estádio da Cidadela. E se ontem não aconteceu sobra, pela frente, a segunda volta, a ver se os militares poderão redimir-se do \"ajuste de contas\", que já leva treze anos.

Naquela ano (2004) o ASA, moldado a Bernardino Pedoroto, e  a jogar campeão nacional, \"bateu\" sem apelo nem agravo, como se diz, o 1º de Agosto, em jogo que contou, na altura, para 12º jornada do campeonato, em que os agostino até hoje justificam que o vexame devera-se às expulsões de Delgado, na primeira parte, e Stopirrá, na segunda. 

É claro que um \"duelo\" 1º de Agosto-ASA ou ASA-1º de Agosto é sempre um dérbi de longa tradição, onde desfecho é imprevisível, mas, da forma como nesta altura o ASA está a portar-se neste campeonato de 2017, fez a malta \"agostina\" alvitrar uma goleada gorda ontem no Estádio 11 de Novembro.

Mas, repita-se, na segunda volta, ainda há jogo e tempo para os militares cobrarem, em campo, a dívida/goleada...      
A.FÉLIX


DECLARAÇÕES DOS TREINADORES

Ivo Traça  | 1º DE AGOSTO
“Sabíamos que seria difícil”
“Sabíamos que seria um jogo difícil, o ASA  não está a atravessar um bom momento, mudou de treinador esta semana, não sabíamos o que eles trabalharam e nos dificultou um pouco, mas felizmente ganhamos o jogo. Na próxima jornada vamos jogar contra o Kabuscorp, uma equipa também difícil, mas vamos entrar em campo para ganhar, tal como foi o nosso objectivo nos outros jogos”.


Jamba | ASA
“O adversário foi superior”


“O 1º e Agosto luta pelo título e o ASA para não descer de divisão. O 1º de Agosto é uma equipa que investiu muito e não temos muito a dizer. Jogámos de peito aberto, sem receios e fizemos um bom jogo, mas encontramos um adversário superior a nós. Ainda falta um jogo e vamos lutar para ganhar. Hoje (ontem) já vimos um ASA diferente e é o que queremos para o resto do campeonato”.