Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

1 de Agosto vence e fica mais prximo da conquista do ttulo

Jorge Neto e Joo Constantino - 13 de Maio, 2019

1 de Agosto vence pela primeira vez o Cuando Cubango por uma margem acima de um golo

Fotografia: kindala Manuel|Edies Novembro

Depois de um primeiro tempo sem golos, o 1º de Agosto teve de puxar dos galões para, golear ontem, por 0-3, a formação do Cuando Cubango FC e encurtar a caminhada para o inédito quarto título consecutivo, deixando a consagração para a última jornada do Girabola Zap, por culpa do arqui-rival que também venceu.

Os agostinos fizeram deslocar ao Bié uma grande avalanche de adeptos, no intuito de fazer de sua a casa do adversário, que joga em terreno emprestado, pois, sabiam que só a vitória interessava sob pena de perderem a liderança.A ansiedade foi um dos factores que assolou a equipa orientada pelo sérvio Dragan Jovic, no primeiro tempo, já que não conseguiu tirar proveito das oportunidades criadas, seja pela cabeçada de Dago e Mabululu ou pelos remates de Macaia.

O extremo Zito Luvumbo mereceu a segunda oportunidade pela segunda vez no onze inicial e não se fez rogado, foi o principal factor de desequilíbrio no lado direito do seu ataque, muito forte no um contra um e nos cruzamentos para os seus colegas que falhavam na finalização.Não obstante a maior posse de posse de bola e adiantamento em campo, os tricampeões nacionais encontraram um adversário bastante esclarecido no relvado, onde o técnico Albano César soube travar as principais unidades ofensivas dos militares e importunar o último reduto defendido por Tony Cabaça.

No segundo tempo, os rubro negro vieram com a lição bem estudada e não deram tempo a formação das Terras do Progresso. Aumentou a pressão, quando soube que o Petro de Luanda estava em vantagem diante da Académica do Lobito, no Estádio 11 de Novembro,  algo que complicava as suas aspirações.

Foi assim que Mabululu, o melhor marcador da equipa, colocou os militares  a frente do marcador aos 48´e Zito Luvumbo aos 52´ aumentou a vantagem , dando a tranquilidade que se esperava num jogo de 'grande' responsabilidade.O 1º de Agosto que nunca havia marcado dois golos ao Cuando Cubango FC, depois de quatro jogos entre si, dava indicio que não queria ficar por esta margem.

Albano César era um homem preocupado com o que acontecia no relvado e reagiu de imediato. Fez subir as suas linhas, tentando marcar o golo de honra que não aconteceu, devido a forte consistência defensiva dos agostinos. Quando se esperava que o resultado estava fechado, Ary Papel aos 87´, foi mais rápido que o guarda-redes Landinho e aproveitou uma sobra de bola para finalizar carimbando o triunfo e os festejos dos seus adeptos. 

A vitória da equipa do campeão em título veio “matar” o sonho da permanência da equipa do Cuando Cubango, que vê-se arredada da prova mãe do futebol nacional. Aliás, o técnico Albano César, que tomou o leme do conjunto na segunda volta, lamentou o facto.O jogo fica marcado pelo facto do Hino Nacional ser tocado ao vivo pela banda de música da quarta divisão de infantaria das FAA. 

Melhor jogador 
Macaia deu estabilidade

O médio Macaia destacou-se na zona intermédia sendo o "motor" que estabilizou a equipa, dando consistência tanto no aspecto defensivo como ofensivo. O jogador deixou o terreno mais recuado para Show e esteve mais perto da baliza, com remates que levaram o perigo ao último reduto adversário. 

Arbitragem 
Trabalho sem influência 
O árbitro Chitano Francisco não teve qualquer influência no resultado final, tendo ajuizado os lances com isenção e longe de polémicas. Os jogadores contribuíram para que o seu trabalho tivesse decorrido sem sobressaltos, pois preocuparam-se em jogar a bola. O juiz acompanhou de perto as jogadas e sancionou técnica e disciplinarmente os infractores.  

Albano César 
"Cometemos erros"

"Sabíamos que seria um jogo difícil, contra uma equipa que está muito próxima de conquistar o título, mas montamos uma estratégia, que conseguimos aguentar até a primeira parte, onde também criamos situações de perigo. No segundo tempo, o 1º de Agosto foi mais forte, mas cometemos erros defensivos que eles souberam aproveitar e sofremos os três golos".

Ivo Traça  
" Dignificamos a nossa vitória"

"Sabíamos que este campeonato seria decidido nas últimas jornadas e nos preparamos física e psicologicamente para estes jogos. Vamos entrar para o último desafio com o Kabuscorp do Palanca para vencermos porque é o que nos resta, se quisermos ser campeões. Em relação ao jogo, enfrentamos uma equipa que soube dignificar a nossa vitória e seria uma pena descerem de divisão pela forma como estão a jogar".