Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

1 de Agosto vence e regressa liderana

28 de Agosto, 2017

Com o passar do tempo os pupilos de Ekrem Asma sufocaram a defesa do 1 de Agosto, quase que \

Fotografia: kindala Manuel | Edies Novembro

\"No aproveitar está o ganho\". Talvez seja este o ditado que melhor serve para descrever a vitória ontem do 1º de Agosto sobre o Sagrada Esperança da Lunda Norte, por 1-0, ou seja, cumprindo a missão com serviços mínimos, e regressando a liderança isolada do campeonato.

Sem dar muito espectáculo mas com um jogo sobretudo pragmático os agostinos cumpriram com a sua missão de iniciar a segunda volta do campeonato com uma vitória e manter a liderança da prova. Foi notária que a paragem do Girabola Zap afectou o ritmo das duas equipas, que encontravam muitas dificuldades para importunar, de forma clara, o último reduto dos adversários, e talvez ai se explica o golo solitário marcado por Rambé aos 15´.

Os campeões nacionais entraram com a responsabilidade de ganhar, em função do arqui-rival, Petro de Luanda, ter vencido no dia anterior e colocado maior pressão aos rubro e negros, já que igualaram a classificação na liderança e têm ainda dois jogos por disputar.
A jogar em casa os pupilos de Dragan Jovic entraram com o objectivo de marcar o mais cedo possível, numa intenção de não permitir que o adversário se sentisse confortável e acreditasse que pudesse complicar as coisas até ao último minuto.

De facto, o golo de Rambé aos 15´, veio dar mais confiança no jogo do conjunto militar, que procurava os melhores caminhos através de Guelor, Nelson da Luz e Rambé.  Os comandados de Ekrem Asma não vieram para ver simplesmente jogar o 1º de Agosto e sempre que podiam tentavam chegar à baliza de Nuno, e o guarda-redes teve de mostrar os reflexos para impedir o golo.

No segundo tempo, o capitão Dany Massunguna ficou no banco de suplentes, cedeu o lugar a Sargento, ressentindo-se de algumas dores. A defesa militar ficou à cargo de Bobó e Sargento. Na medida que o jogo decorria os diamantíferos subiram mais no terreno, trocavam mais a bola no meio-campo adversário, obrigando o 1º de Agosto a organizar bem a sua defesa, mas rematando à meia distância quando tivessem espaço.

O lado esquerdo da defesa dos forasteiros teve sérias dificuldades em travar Nelson da Luz, deu muito trabalho naquela zona e quase marcou, mas no momento decisivo falhou o alvo. O jogo entrou numa toada de parada e resposta, enquanto os militares subiam em ataque continuado os diamantíferos saiam rápido para o contra-ataque, com sinal mais para Bugos e Tom. 

Com o passar do tempo os pupilos de Ekrem Asma sufocaram a defesa do 1º de Agosto, quase que \"alugaram\" o seu meio-campo e tentavam o golo da igualdade, na ânsia de sair de Luanda com um ponto na bagagem, o que não aconteceu.

ARBITRAGEM
Actuação regular


O golo marcado por Rambé chegou a criar algumas duvidas quanto a sua validade, mas acabou por confirmar-se que estava numa posição regular, por ter sido colocado em jogo por um defesa diamantífero. Deste modo, o trabalho do árbitro Pedro dos Santos não sofre nenhuma contestação e sem influência no resultado final do desafio. Acompanhou as jogadas de perto, mostrou alguns cartões amarelos para castigar disciplinarmente os infractores, todos para os jogadores do Sagrada Esperança, que optaram por travar em faltas à margem da lei os seus adversários.Os auxiliares Luís Mateus e Pedro Futa estiveram bem no ajuizamento das jogadas de fora-de-jogo e cumpriram o seu papel.

MELHOR EM CAMPO
O nº 27... decidiu tudo

O avançado do 1º de Agosto cumpriu com a missão que lhe foi entregue, chamando a si o único golo do desafio, aos 15 minutos, consequentemente deu a vitória a sua equipa, onde diante do Sagrada Esperança da Lunda Norte. O cabo-verdiano mostrou sentido e oportunidade e faro de golo entre os defesas para bater o guarda-redes Yuri, fazendo o 10º tento na sua época de estreia no campeonato nacional. Rambé tentou a sorte noutros lances, mas não teve o mesmo desfecho. Foi o destaque por ter marcado o único golo do desafio, que devolveu os militares a liderança do Girabola Zap.