Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

1 de Maio e Acadmica jogam hoje

Betumeleano Ferr?o - 12 de Março, 2017

A realidade outra e vai forar o 1 de Maio e a Acadmica a darem tudo de si para tentar amealhar 3 pontos importantes para dar um pontap na crise de resultados.

Fotografia: Jornal dos Desportos

Os dois contendores estão ansiosos atrás da reabilitação porque iniciaram mal o campeonato, o resultado final pode aumentar os receios dos adeptos locais de verem a província sem os seus representantes no Girabola Zap. O 1º de Maio chega ao dérbi como o lanterna vermelha do campeonato, mas como tem apenas menos 2 do que o Académica, fica fácil perceber porque não está em pior situação. Se a ditadura do proletariado prevalecer no final, o Maio vai igualar o rival na classificação.

As contas do Académica também vão bater certo com os 3 pontos, os estudantes vão defrontar um adversário directo na luta pela despromoção, pelo que vão fazer pela vida para alcançar uma vantagem, capaz de atrasar um dos candidatos do seu campeonato.

Os proletários têm desiludido os seus adeptos no Municipal, mas eis uma boa oportunidade de fazer diferente diante do rival provincial. Um triunfo sobre os estudantes não acaba em definitivo com a aflição dos proletários, mas é capaz de fazer assentar a poeira, pois os adeptos precisam de acções práticas para acreditar que a equipa é capaz de ganhar as equipas do seu campeonato. A vida dos estudantes no Girabola Zap ficou muito mais complicada com a contratação de António Alegre, cujas credenciais como treinador demoram a ser vistas no campeonato. Os modestos resultados do Académica do Lobito parecem querer provar que António Alegre ainda contínua na pele de comentarista, uma condição que não interessa aos adeptos, acostumados a ver a equipa a lutar para não descer.

Quem sair a sorrir no dérbi de Benguela é capaz de lamber as feridas e ganhar algum alívio momentâneo, é verdade, mas capaz de servir de motivação para os próximos desafios. A sorte final de proletários e estudantes não vai ser conhecida no final do dérbi, mas dele pode sair a confiança necessária para começar a realizar um campeonato sem muito desperdício de pontos.

Se proletários e estudantes estivessem a efectuar uma boa colheita de pontos, é possível que os contendores ainda pensassem num acordo de cavalheiros, para salvaguardar os interesses da província, uma das praças fortes do nosso futebol. A realidade é outra e vai forçar o 1º de Maio e a Académica a darem tudo de si para tentar amealhar 3 pontos importantes para dar um pontapé na crise de resultados.